Automóvel Nissan assegura que emissões e consumos dos veículos cumprem regras

Nissan assegura que emissões e consumos dos veículos cumprem regras

A Nissan esclareceu esta segunda-feira que as emissões de partículas e os consumos de combustíveis dos seus veículos produzidos no Japão cumprem as especificações indicadas nos catálogos. A fabricante nipónica tinha indicado que havia descoberto a manipulação de testes às emissões e consumos nas suas unidades de produção japonesas.
Nissan assegura que emissões e consumos dos veículos cumprem regras
Negócios 09 de julho de 2018 às 17:58

A Nissan esclareceu esta segunda-feira que as emissões de partículas e os consumos de combustíveis dos seus veículos produzidos no Japão cumprem as especificações indicadas nos catálogos. A fabricante nipónica tinha indicado que havia descoberto a manipulação de testes às emissões e consumos nas suas unidades de produção japonesas.

"A Nissan está proactivamente a levar a cabo várias verificações de conformidade de diversos aspectos das suas operações no Japão. Como parte desta iniciativa, a Nissan descobriu recentemente que algumas fábricas de produção de veículos não estavam a conduzir adequadamente os testes de emissões de partículas e as medições de consumo de combustível, compreendidos no processo de inspecção final do veículo (Kanken)", indica a empresa em comunicado.

Segundo a Nissan, foram iniciadas de imediato averiguações internas ao sucedido e foram verificados os valores de emissões e consumos. "Todos os veículos produzidos, com a excepção do GT-R (para o qual as verificações ainda decorrem), cumprem os Standards de Segurança do Japão e (…) a média dos valores medidos para as homologações dos veículos da Nissan garantem as especificações de catálogo anunciadas para as emissões de partículas".

 
A marca assegura ainda que foram feitos "testes por amostragem" e que estes "garantem as especificações de consumo de combustível descritas nos catálogos da Nissan, significando isso que não existem erros nos valores de consumo de combustível divulgados" pela fabricante.

Após ter revelado a manipulação nos testes, as acções da Nissan sofreram uma queda de 5%, para o valor mais baixo desde Abril de 2017.




pub