Automóvel SAG reduz perdas entre Janeiro e Março

SAG reduz perdas entre Janeiro e Março

A empresa liderada por João Pereira Coutinho reportou prejuízos de 3,06 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, uma melhoria de 10,3% face às perdas do período homólogo de 2014.
SAG reduz perdas entre Janeiro e Março
Carla Pedro 29 de maio de 2015 às 20:54

A SAG Gest – Soluções Automóveis Globais reduziu as perdas nos três primeiros meses de 2015, para 3,06 milhões de euros, contra um resultado líquido negativo de 3,47 milhões no mesmo período do ano passado, anunciou a empresa em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

 

Já o volume de negócios consolidado foi 153,3 milhões de euros, representando um aumento de 45,9% em relação aos 105,0 milhões registados no período homólogo do ano anterior.

 

Apesar do aumento do investimento comercial de suporte à actividade comercial, o EBITDA, no valor de 4,3 milhões, registou um aumento de 61,9% em relação ao valor do primeiro trimestre do ano passado (2,6 milhões de euros), acrescenta o documento.

 

A sua subsidiária SIVA [empresa da SAG que comercializa automóveis em Portugal] manteve a liderança no mercado de ligeiros de passageiros em Portugal, com uma quota de mercado de 15,5%.

 

Por seu lado, a participada brasileira Unidas viu a sua receita líquida consolidada crescer 20,6% relativamente ao primeiro trimestre de 2014, a que correspondeu um crescimento do EBITDA de 11,1% e do EBIT em 12%. No final do trimestre, a Unidas apresentava uma frota total de cerca de 43 mil veículos (um acréscimo de 15% face a 2014), refere o comunicado.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub