Banca & Finanças  Maiores devedores do BES com dívidas de 6,6 mil milhões - CM

Maiores devedores do BES com dívidas de 6,6 mil milhões - CM

A empresas de José de Mello, Luís Filipe Vieira, Joe Berardo, Vasco Pereira Coutinho, Nuno Vasconcellos, Carlos Martins e José Guilherme estão entre os maiores devedores do banco, noticia o Correio da Manhã.
 Maiores devedores do BES com dívidas de 6,6 mil milhões - CM
Negócios 30 de abril de 2016 às 16:30

O Correio da Manhã divulga este sábado a lista dos maiores devedores do Banco Espírito Santo, sendo que os 21 maiores têm uma dívida conjunta ao banco de 6,6 mil milhões de euros.

 

Entre os maiores devedores (agora do Novo Banco, depois da resolução aplicada ao BES em 2014) encontram-se as empresas lideradas por empresários conhecidos, como José de Mello, Luís Filipe Vieira, Joe Berardo, Vasco Pereira Coutinho, Nuno Vasconcellos, Carlos Martins ou José Guilherme, construtor que ofereceu 14 milhões de euros a Ricardo Salgado.

 

O maior devedor é o Grupo Mello, com 945 milhões de euros, sendo que os 19 maiores devedores têm uma dívida acima de 108 milhões de euros cada um.

 

O BES concedeu o crédito a esses clientes durante a presidência de Ricardo Salgado, sendo que a exposição do Novo Banco a alguns desses 21 clientes poderá ter sido, entretanto, reduzida, como é o caso do Grupo José de Mello, que neste momento, "tem uma dívida muito inferior".

 

O CM assinala que os maiores devedores são empresas lideradas por pessoas próximas de Ricardo Salgado, como é o caso da Ongoing de Vasconcellos, com uma dívida de 606 milhões de euros (segunda maior).

 

Mais de metade da dívida total está concentrada em clientes da construção e imobiliário, como é o caso do Grupo Lena, dos irmãos António e Joaquim Barroca, Obriverca, de Eduardo Rodrigues, Temple, de Vasco Pereira Coutinho, ou Promovalor, de Luís Filipe Vieira.

O Sport Lisboa e Benfica (SLB) e a empresa de Luís Filipe Vieira têm juntos no Novo Banco uma dívida de 656 milhões de euros.




A sua opinião30
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado beachboy 30.04.2016

...resta saber quanto deste valor vai se transformar em malparado...

comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Que "governantes"teve e tem o paí,s que obriga os contribuintes a pagarem as dívidas destes pseudo empresários,gestores e até dirigente do futebol.Qualquer pessoa que tenha o mínimo de discernimento não pode deixar de se revoltar e não permitir que dinheiro dos impostos seja usado para tal fim.

Anónimo 01.05.2016

Em vez de ficarem tão indignados, façam uma pergunta a vós próprios: Em quem andei eu a votar estes anos todos depois do 25 de abril? Aí chegarão à verdade de quem é o verdadeiro culpado.

João G 01.05.2016

Pois! Mas continuam a viver à grande com o dinheiro que não é deles. Serviram-se das empresas para sacarem e ninguém lhes vai buscar a "massa"

Madoff apanhou prisão perpétua e ficou sem nada! 01.05.2016

Mas quem andou a viver acima das possibilidades? César das Neves q veja isto! Então só 21 empresários da treta conseguiram derreter 6,6 mil milhões de euros! Inacreditável, todos os cortes q o Passos fez aos pensionistas e FP não atingem essa soma!! Quantos estão presos neste País de bananas??

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub