Banca & Finanças CDS diz que emissão da Caixa dá rendas a "fundos abutres" e paga juros mais altos

CDS diz que emissão da Caixa dá rendas a "fundos abutres" e paga juros mais altos

O porta-voz do CDS-PP, João Almeida, criticou hoje a emissão de dívida obrigacionista da Caixa Geral de Depósitos (CGD), argumentando que mostra que a recapitalização já custa aos portugueses, com juros superiores e rendas a "fundos abutres". Governo contesta.
CDS diz que emissão da Caixa dá rendas a "fundos abutres" e paga juros mais altos
Negócios com Lusa 23 de março de 2017 às 16:37
"Esta emissão é muito pior do que aquela que foi feita pelo Governo anterior, é incoerente com tudo aquilo que os partidos que suportam este Governo sempre disseram e prova que o plano de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos foi vendido como grande sucesso mas, pouco tempo depois da sua aprovação em Bruxelas, já começa a custar muito aos portugueses", afirmou João Almeida aos jornalistas no Parlamento.

O porta-voz centrista considerou que esta emissão vai "agravar os resultados da Caixa Geral de Depósitos, vai reduzir a receita do Estado e vai dar rendas a fundos privados internacionais, coisa que não acontecia no passado com a Caixa".

"Se no passado os juros que foram pagos pela CGD foram pagos ao Estado, portanto, reverteram para os contribuintes portugueses, agora são pagos a investidores internacionais privados e, portanto, o juro não só é mais alto, como é pago a privados e sai do universo do Estado", sustentou.

João Almeida insistiu na ideia do investimento por "fundos abutres": "Este Governo e esta maioria são o Governo e a maioria que trazem os fundos abutres. Onde estão PCP e BE para denunciar a entrada de fundos abutres na Caixa Geral de Depósitos?".

"Onde estão os deputados para denunciar que a Caixa Geral de Depósitos fez esta emissão na praça do Luxemburgo?", questionou ainda João Almeida.

O comentário do CDS à operação de colocação de dívida do banco público foi repetido pelo deputado centrista João Almeida, no plenário, no debate sobre dívida pública requerido pelo PCP. 

O secretário de Estado do Tesouro, Álvaro Novo, contestou a leitura feita pelo CDS, argumentando que o juro de 10,75% que a Caixa vai pagar fica abaixo do juro de 12% suportado pelo espanhol Banco Popular, apesar deste banco "ter um rating melhor" do que a Caixa. "Esta é a comparação que devemos fazer", disse Álvaro Novo, sublinhando que devem ser comparadas colocações junto dos investidores privados. 

A CGD emitiu hoje 500 milhões de euros de dívida perpétua junto de investidores institucionais, a uma taxa de juro de 10,75%, segundo fontes ligadas ao processo citadas pela agência Bloomberg.

Em comunicado ao mercado, a Caixa Geral de Depósitos (CGD) dá conta que o lançamento da emissão ocorreu hoje, pelas 9:00, tinha um intervalo inicial de preço anunciado, entre os 11 e os 11,5%, e que tinha "em consideração os referenciais recebidos nos contactos com os investidores.

(Actualizada com a reacção do Governo durante o debate sobre a dívida pública)



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Gatunos 24.03.2017

AOS TUGAS OS LADRÔES DA CAIXA GERAL DE DEPOSITOS PAGA ZERO % DE JUROS, AOS ABUTRES A CAIXA PAGA 10.75% DE JUROS.
PORTUGAL É UM REPUBLICA DE LADRÕES, JUSTIÇA SÓ A TIRO, POIS A ESACUMALHA NOJENTA DA JUSTICA LAVA E BANQUEIA TODOS OS GRANDES ROUBOS.

Desanimado 23.03.2017

Ó betinho da treta, vai-te queixar ao BCE que impôs essa condição, coisa que o teu querido líder, passos palerma já tinha feito anteriormente. JÁ NÃO HÁ PACIÊNCIA PARA ESTA GENTE.

Anónimo 23.03.2017

seria muito lindo se os depositantes agora retirassem os depositos a prazo que têm na caixa e que esta paga juros de quase 0%
mas nao so 500 milhoes ai uns 3000 milhoes o mesmo da injeçao de capital.............................

Investidor 23.03.2017

Os politicos portugueses, de todos os quadrantes, são abaixo de mediocres. Não há um que se aproveite. E andamos nisto há mais de 40 anos. O que ontem defendemos, hoje atacamos porque foi dito pelos "outros". Amo a democracia, mas, bolas, isto é muito, mas muito, mau.

pub
pub
pub
pub