Banca & Finanças Espanha cria primeiro "banco" municipal

Espanha cria primeiro "banco" municipal

A verba para microcréditos sairá do orçamento da autarquia de La Roda de Andalucía, financiando 25 mil euros de capital inicial da "instituição". O objectivo é apoiar particulares e pequenas empresas e estimular a economia.
Espanha cria primeiro "banco" municipal
Paulo Zacarias Gomes 11 de março de 2016 às 20:02

A administração da localidade de La Roda de Andalucía, na região espanhola com o mesmo nome, anunciou o lançamento na próxima semana daquilo que auto-designa como o "primeiro banco municipal de Espanha".


A iniciativa, que é suportada pelo orçamento da autarquia, destina-se a financiar indivíduos e pequenos negócios através de microcréditos no valor mínimo de mil euros e máximo de 1.500 e a taxas de juro de 0%. O prazo de reembolso oscila entre os 12 e os 18 meses.


O "banco" começa a atribuir os primeiros créditos na semana que vem e conta com um capital inicial de 25 mil euros. Mas está aberto a incorporações de mais verbas, seja donativos ou contributos de anónimos, tanto de particulares como de empresas.


Entre as finalidades do empréstimo estão a remodelação de instalações, a compra de "stocks", a renovação do parque informático ou a compra de mobiliário, bem como o pagamento de facturas em atraso.


"Queremos que este banco público esteja ao serviço das pessoas. Queremos que estes créditos cheguem a quem gera emprego. Este tipo de medidas dizem ao resto das autarquias que é possível fazê-lo", afirmou o autarca Fidel Romero, eleito pelo Izquierda Unida, citado pelo Andaluces Diario,


O autarca e os membros da oposição na câmara asseguram a fiscalização das contas do "banco", através da comissão especializada de contas da autarquia que gere a aplicação do orçamento. No total, a municipalidade com 4.200 habitantes tem para gerir um orçamento de mais de 4,6 milhões de euros este ano.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 11.03.2016

Esta aqui uma boa deixa para os EMIGRANTES portugueses tambem abrirem um banco geral MAS sobretudo direccionado aos EMIGRANTES.QUEM SABE.Facamos nos o galinheiro necessario antes que a galinha dos "OVOS DE OURO"DESAPARECA.

pub