Banca & Finanças Esquerda volta a chumbar auditoria externa ao Banif

Esquerda volta a chumbar auditoria externa ao Banif

A comissão de inquérito chumbou, mais uma vez, a proposta de auditoria externa alargada ao Banif. PS, BE e PCP juntaram-se e votaram contra, PSD e CDS a favor.
Esquerda volta a chumbar auditoria externa ao Banif
Diogo Cavaleiro 11 de fevereiro de 2016 às 19:41

Não vai haver "auditoria externa e independente" à comissão de inquérito ao Banif. A decisão coube aos deputados da esquerda, representantes do Partido Socialista, Bloco de Esquerda e Partido Comunista Português, que voltaram a rejeitar a proposta avançada pelo Partido Social Democrata.

 

O primeiro chumbo já tinha acontecido em plenário e, agora, voltou a decorrer na segunda reunião da comissão parlamentar de inquérito ao Banif. Os social-democratas pretendiam a auditoria externa para analisar os aspectos técnicos em torno dos últimos anos de vida do banco com sede no Funchal.

 

"O requerimento teve os votos contra dos deputados do PS, BE e PCP e os votos favoráveis do PSD e CDS e, portanto, este requerimento foi rejeitado", comunicou, na audição, o presidente da comissão, o comunista António Filipe.

 

Abreu Amorim justificou a auditoria com o "apuramento dos factos" por uma "entidade verdadeiramente independente, não ligada a nenhum dos intervenientes" e, no dia em que o Diário de Notícias adiantou que a esquerda iria rejeitar a sua iniciativa, o deputado social-democrata tentou antecipar-se mostrando-se disposto a "reduzir o objecto" da auditoria, de forma a que pudesse demorar menos tempo.

 

Do PCP, Miguel Tiago declarou que o PCP se recusa a que qualquer auditora analise o Banif, já que muitos dos problemas detectados na banca nos últimos anos acabou, na sua opinião, por causar tais problemas.

 

Mariana Mortágua disse o mesmo. "A comissão de inquérito tem de ter os recursos técnicos, mesmo que implique pedir auditorias independentes para necessidades específicas que detecte", disse a deputada bloquista, recusando a auditoria externa proposta pelo PSD. Carlos Abreu Amorim questionou a deputada sobre o tema, por ter dito anteriormente que iria aceitar uma auditoria externa, mas Mariana Mortágua disse que sempre disse que nunca iria propor grandes auditorias a observar os últimos anos e a intervenção no Banif mas apenas momentos específicos.

 

Já o PS, pela voz de Jorge Lacão, explicou que o não socialista se devia ao facto de ser uma entidade privada a avaliar relações de natureza institucional, o que não fazia sentido.

 

Do lado do sim, João Almeida explicou que o CDS votaria a favor da auditoria do PSD mas também qualquer outra que viesse a ser proposta. 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 09.03.2016

O BPN do x.uxialismo. E como aquele negocio do submarino infiltrado do Jardim com batatas na boca, apadrinhado pelo Socas/Vara/CGD quando assaltaram o BCP. Estiveram quase a rebentar com aquilo

Anónimo Há 1 semana

Gostaria de ver o incompetente do Constancio a bater vcom as costas no Inquerito. Ou vai dizer como o outro que nao se lembra de nada. Mas lembrou-se de ambicionar de ir para um poleiro onde e um corta fitas e fala como se fosse um sabio.

rosinda Há 2 semanas

eu quero saber o que se passou com a venda do banif o dr rui rio parece que tambem tem o mesmo intesse que eu!

Anónimo Há 2 semanas

Tenham paciência temos mais onde gastar dinheiro...

pub
pub
pub
pub