Banca & Finanças Há três interessados na compra dos imóveis da Fidelidade

Há três interessados na compra dos imóveis da Fidelidade

Orion Capital Managers, Apollo Global Management e Oaktree Capital Management são os três candidatos a comprar a carteira de imóveis da Fidelidade, avançam fontes próximas do processo à Bloomberg.
Há três interessados na compra dos imóveis da Fidelidade
Negócios com Bloomberg 17 de maio de 2018 às 10:20
Há três entidades na corrida final à compra da carteira de imóveis que a Fidelidade colocou à venda no final de 2017, garantiram três fontes à Bloomberg. O fundo de investimento Orion é o último nome avançado, que se junta assim ao Apollo Global Management e ao Oaktree Capital Management. 

O valor estimado dos imóveis ascende a 450 milhões de euros, de acordo com a mesma fonte. Um valor substancialmente acima dos 327 milhões de euros que constavam do relatório e contas do grupo relativo ao ano passado. 


Contactada pela Bloomberg, a Fidelidade recusou-se a comentar, afirmando apenas que "o processo segue com normalidade". Já dois dos fundos visados, Orion e Oaktree recusaram-se a prestar declarações, enquanto o terceiro, Apollo, não respondeu às tentativas de contacto da agência noticiosa. 

A grande maioria dos imóveis em causa estão espalhados por Lisboa e Porto. A Fidelidade decide vendê-los numa altura em que a avaliação do imobiliário bate recordes em Portugal. 



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
alberto9 Há 6 dias

As seguradoras vendem os aneis, quando ouver uma catastrofe já sabem quem vai pagar a conta

Anónimo Há 6 dias

450 milhões de euros que a Fonsun liberta da fidelidade. Boa !! Antigamente as seguradoras tinham de ter activos sólidos (imóveis) agora podem despachar esses activos e inverstir em títulos. Um dia voam!! Vendem activos imobiliários e compram UP´s de veículos Fonsun. Boa!! Tudo a saque!!

pub