Banca & Finanças Lei de juros negativos afecta três mil empréstimos do BPI

Lei de juros negativos afecta três mil empréstimos do BPI

“Vamos cumprir a lei”, garantiu Pablo Forero, dizendo que o banco não vai ter de fazer provisões para aplicar a lei da Euribor negativa.
Lei de juros negativos afecta três mil empréstimos do BPI
Pedro Simões
Diogo Cavaleiro 24 de julho de 2018 às 17:59

A lei que obriga os bancos a aplicar juros negativos no crédito à habitação vai afectar cerca de três mil clientes do Banco BPI, segundo admite o presidente executivo, Pablo Forero.

"Vamos cumprir a lei", começou por assegurar o CEO do banco na conferência de imprensa de apresentação de resultados do primeiro semestre do ano, período em que registou lucros de 366,1 milhões de euros.

"O impacto é moderado, não é muito grande. São muito poucos, são à volta de três mil empréstimos", frisou o responsável pelo banco. Forero não quis, contudo, referir o valor dos contratos, dizendo apenas que "não é significativo". A CGD, que já falou sobre o tema, também tinha referido que o número de afectados é limitado.

A lei afectará os empréstimos com a combinação de taxas de juro muito reduzidas e com "spreads" "muito baixos". Isto porque a taxa de juro negativa é aplicada quando a média negativa da Euribor (o indexante) do empréstimo à habitação anula o "spread" praticado.

Forero explicou que, como a lei não tem implicações retroactivas, não haverá necessidade de fazer provisões adicionais. A opção do banco vai ser fazer deduções ao capital do empréstimo para dar forma ao novo imperativo legal. 

A nova lei entrou em vigor na passada quinta-feira. A Associação Portuguesa de Bancos já disse que os associados irão cumprir a lei, mas frisou que permanecem dúvidas fiscais sobre a sua aplicação.

 




pub