Banca & Finanças Provisão para papel comercial está no BES "mau" mas só Novo Banco conseguirá pagar

Provisão para papel comercial está no BES "mau" mas só Novo Banco conseguirá pagar

Há uma provisão de 668 milhões de euros no BES mau mas não há dinheiro que a assegure. Daí que só o Novo Banco possa reembolsar os investidores de papel comercial.
Provisão para papel comercial está no BES "mau" mas só Novo Banco conseguirá pagar
Miguel Baltazar/Negócios
Diogo Cavaleiro 05 de fevereiro de 2015 às 18:18

Foram vendidos títulos de dívida da Espírito Santo International e da Rioforte, empresas do Grupo Espírito Santo, aos balcões do Banco Espírito Santo. Estas empresas tinham de assegurar o pagamento. Estão em insolvência e não conseguem.

 

Em 2014, o BES teve de reconhecer uma provisão de praticamente 700 milhões de euros para assegurar o reembolso àqueles investidores. Com a resolução, para onde foi a provisão? Já se sabia que o Novo Banco não a tem nas suas contas. Luís Máximo dos Santos (na foto) disse esta quinta-feira, 5 de Fevereiro, que o reconhecimento desta provisão está no BES, o chamado "banco mau".

 

"A provisão não se evaporou. Está registada nas contas do BES", disse Máximo dos Santos na comissão parlamentar de inquérito à gestão do banco e do GES. Aliás, essa questão conduziu a dúvidas entre os auditores da entidade, a PwC e a KPMG, envolvidos na certificação de contas da entidade que tem os activos e passivos considerados problemáticos do BES. Contudo, como a provisão tinha sido constituída no BES por determinação do Banco de Portugal "prevaleceu esse critério". Ou seja, a provisão está no banco mau.

 

A provisão é o dinheiro que foi reconhecido nas contas para assegurar o reembolso destas instituições. A provisão é de 668 milhões de euros, especificou Máximo dos Santos. Mas o BES não a pode pagar. "É evidente que, por muito extraordinariamente eficiente que fosse a administração do banco, não se antevê que possam haver recursos suficientes porque, com os activos que temos, o grau de recuperabilidade é baixo".

 

Assim, o Novo Banco é o próximo da linha que poderá assegurar o pagamento destes títulos de papel comercial. Contudo, sublinhou Máximo dos Santos, este não tem qualquer obrigatoriedade no reembolso. O Banco de Portugal recomendou ao banco liderado por Eduardo Stock da Cunha pagar a estes investidores em papel comercial do GES vendido aos balcões do BES, de forma a manter a relação com os clientes mas sem prejudicar os seus rácios. As últimas informações que foram tornadas públicas indicam que o regulador e o banco estão ainda a discutir a forma de possibilitar essa indemnização.

 

Na próxima semana, Stock da Cunha é um dos chamados à comissão de inquérito e a questão será uma das que terá de responder, numa altura em que são várias as manifestações dos que se dizem por "lesados" do papel comercial.

 

 




A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 05.02.2015

O dinheiro para pagar passou para o Novo Banco, mas a dívida ficou o BES. Claro que só o Novo Banco pode pagar, mas parece que só o fará obrigado. Acho que só mesmo nos tribunais é que isto se vai resolver.

comentários mais recentes
Anónimo 12.02.2015

Qual o partido do Sr. Carlos Costa?

Anónimo 07.02.2015

Quero fazer uma recomendaçao aos emigrantes portugueses, jà que o nosso paìs sò quer as nossas verbas sem nos dar garantia de qualquer.
Não mandem mais verbas atè ao rembolso total do papel comercial.

Anónimo 06.02.2015

IMPRESSIONANTE o que o Banco de Portugal criou a volta do reembolso do Papel comercial. É vergonhoso para uma instituição que devia ser do mais alto nível.

Anónimo 06.02.2015

O BANCO DE PORTUGAL faz referencia a provisão para pagamento do papel comercial, na Deliberação_14 Agosto 2014, ponto 3, alinea c). É um documento oficial, como podem agora dizer que a provisão está no BES? Que tipo de instituição é o BdP? Onde está a seriedade?

ver mais comentários
pub