Comércio EasyJet lança supermercado com todos os produtos a 33 cêntimos

EasyJet lança supermercado com todos os produtos a 33 cêntimos

A easyFoodstore é a mais recente aposta da companhia aérea low-cost EasyJet, que acaba de abrir em Londres um supermercado em que todos os produtos têm um preço de 33 cêntimos.
EasyJet lança supermercado com todos os produtos a 33 cêntimos
Bloomberg
Negócios 03 de fevereiro de 2016 às 13:48

A EasyJet entrou no sector dos supermercados com a abertura da easyFoodstore, um supermercado low-cost em que todos os produtos à venda podem ser comprados por apenas 25 pence (33 cêntimos).

 

A primeira loja da easyFoddstore, que abriu em Londres, mais concretamente em North Circular Road, no Park Royal, mostra um conceito próximo dos antigos supermercados, em que o cliente parece estar num armazém de mercadorias. As prateleiras são bastantes simples, bem como a variedade de produtos que é algo limitada.

 

Estão à venda 76 produtos diferentes, sendo que se um determinado cliente quiser comprar uma unidade de cada uma das 76 opções colocadas à venda, precisará de despender menos de 20 libras (26,4 euros).

Para o fundador da EasyJet, o grego Stelios Haji-Ioannou, "esta é outra forma de a marca easy poder servir os menos abastados. Tendo em conta a minha experiência de distribuição de alimentos grátis na Grécia e no Chipre, esta é uma tentativa comercial de vender alimentos básicos por 25 pence cada".

 

No sítio da easyFoodstore, a empresa explica que os preços poderão subir em Março, para um valor de 50 pence (66 cêntimos) por cada produto.

 

O El Confidencial explica que o Stelios Haji-Ioannou já há muito queria entrar neste sector, por considerar existir uma lacuna por preencher no sector dos supermercados de baixo-custo, hoje em dia ocupada essencialmente pelo Lidl e pelo Aldi.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub