Comércio Forall Phones: José faz primeiro milhão aos 21 anos e abre loja no Porto dia 12

Forall Phones: José faz primeiro milhão aos 21 anos e abre loja no Porto dia 12

José Costa Rodrigues tinha 19 anos quando investiu 300 euros na criação da Forall Phones, empresa de venda de “smartphones” semi-novos que facturou um milhão de euros no ano passado. Depois de inaugurar a sua primeira loja, na capital, em Outubro, chega agora ao Porto.
Forall Phones: José faz primeiro milhão aos 21 anos e abre loja no Porto dia 12
José Costa Rodrigues, CEO da Forall Phones.
Rui Neves 09 de maio de 2018 às 09:48

Aos 16 anos, José sonhava ter um Iphone 4s. Pediu aos pais, que lhe deram nega. E assim nasceu um negócio que, com um investimento inicial de 300 euros, facturou um milhão de euros no ano passado. Como?

 

Perante a recusa dos pais em cumprir tão caro sonho, o filho juntou alguma tralha lá em casa, incluindo uma "playstation" portátil, e vendeu tudo no site de compras em segunda mão OLX, onde comprou o tão desejado "smartphone".

 

Mas passado um mês revendeu o Iphone 4s com lucro. Começou então a comprar e a vender "smartphones" a partir de sua casa, em Ourém.

 

O negócio cresceu tanto que, passados dois anos, criou a empresa Forall Phones (telefones para todos), que vende maioritariamente "smartphones" iPhone e Samsung e equipamento tecnológicos semi-novos "até 40% mais baratos" em relação ao preço do modelo novo e ainda com um ano de garantia.

 

Em 2017, cinco anos depois de ter comprado e vendido o seu primeiro "smartphone", a empresa de José Costa Rodrigues facturou cerca de um milhão de euros e abriu, em Outubro, a sua primeira loja física, no Campo Grande, em Lisboa.

 

Segue-se a abertura de uma loja no portuense Rua Formosa, no próximo sábado, 12 de Maio, com a Forall Phones a reforçar assim "o investimento e a aposta na sinergia entre o digital (comércio online) e espaços físicos (lojas)", sublinha a empresa, em comunicado.

 

"O Porto foi a escolha mais óbvia para nós. Todos os dias recebíamos mensagens a pedir para abrirmos uma loja lá e para levarmos para o Norte o mesmo que Lisboa já tinha: ‘smartphones’ de qualidade ‘premium’ a preços acessíveis e um contacto mais próximo e personalizado com os clientes. Com a maioria das minhas raízes familiares situadas no Porto, nem hesitei. A decisão estava tomada" explica José Costa Rodrigues, CEO da Forall Phones.

 

O CEO da empresa planeia vender, "só na loja do Porto, mais de 20 ‘smartphones’ por dia, originando vendas anualizadas a rondar os dois milhões de euros".

 

Com a contratação de duas pessoas para a loja do porto, a Forall Phones emprega agora duas dezenas.




pub