Comércio Há acordo: Amazon e Hachette terminam a guerra dos “ebooks”

Há acordo: Amazon e Hachette terminam a guerra dos “ebooks”

Foram longos meses de desentendimentos e acusações entre as partes. Ao debate, juntaram-se escritores e outras personalidades. O acordo está agora fechado.
Há acordo: Amazon e Hachette terminam a guerra dos “ebooks”
Bloomberg
Wilson Ledo 13 de novembro de 2014 às 18:30

A retalhista "online" Amazon e a editora Hachette conseguiram chegar a acordo, depois de uma batalha que durou vários meses. Na origem da discórdia estava o preço a estabelecer para os livros electrónicos ("ebooks").

 

Apesar de não terem sido divulgados os termos do novo contrato, que será aplicado por vários anos, o CEO do grupo editorial, Michael Pietsch, considerou que o acordo vai "beneficiar os autores da Hachette".

 

O desacordo – entretanto ultrapassado – levou a Amazon a atrasar a entrega, a eliminar descontos e a opção de pré-encomenda de títulos da Hachette. Os escritores tomaram posições, manifestando publicamente o seu descontentamento.

 

Os rumores davam conta que a Amazon quereria uma maior fatia na receita gerada com os "ebooks". A retalhista reclamava ainda preços menores nos livros electrónicos por não lhes estarem associados custos de impressão, armazenamento ou transporte. A Hachette dizia que o cenário era insustentável.

 

Recentemente, a Amazon assinou também um acordo com a editora Simon & Schuster.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub