Comércio Mercadona abre mais cinco lojas em Portugal

Mercadona abre mais cinco lojas em Portugal

O grupo espanhol vai reforçar a sua presença no Norte de Portugal. O presidente da Mercadona confirmou nove lojas portuguesas na apresentação de resultados de 2017.
Mercadona abre mais cinco lojas em Portugal
Wilson Ledo 13 de março de 2018 às 11:17

A Mercadona vai abrir mais cinco lojas em Portugal. A confirmação foi dada esta terça-feira, 13 de Março, pelo presidente da empresa, Juan Roig Alfonso.

As novas lojas vão abrir no Porto, Braga, Penafiel e Barcelos. Junta-se ainda um segundo espaço em Vila Nova de Gaia.

A empresa já tinha confirmado a abertura de quarto lojas, distribuídas entre Gaia, Maia, Matosinhos e Gondomar. Estas lojas arrancam no primeiro semestre de 2019.

O grupo retalhista espanhol investiu 25 milhões de euros em Portugal. Nesse pacote conta-se ainda um centro de co-inovação em Matosinhos e uma plataforma logística na Póvoa de Varzim.

Serão lojas com cerca de 1.800 metros quadrados e nove mil produtos. "50% dos produtos que venderemos em Portugal serão diferentes de Espanha", informou.

Nesses 25 milhões não se incluem as cinco novas lojas agora anunciadas. O reforço a Norte implicará também mais contratações além das 350 já definidas. O presidente da empresa explicou porque é as lojas em Portugal são todas no Norte: "não acredito em centralismos". Juan Roig Alfonso afastou assim, para já, a possibilidade de se expandir para a capital portuguesa, ainda que admita que o objectivo é "descer".

Mesmo sem estar em Portugal, a Mercadona  comprou 63 milhões de euros a fornecedores lusos no ano passado. A lista já conta com 50 empresas.

A Mercadona fechou 2017 com lucros líquidos de 322 milhões de euros, uma quebra homóloga de 49%, justificada pelos investimentos de mil milhões de euros realizados apenas com recursos próprios.

A empresa decidiu ainda atribuir 313 milhões em prémios aos seus 84 mil trabalhadores.

Em Espanha, a Mercadona tem 1.627 lojas e lançou um programa de reformulação da maioria delas. Nenhuma dessas lojas trabalha ao domingo. Cenário que Juan Roig Alfonso admite que possa acontecer em Portugal, mesmo que contra a sua primeira vontade.

* - Jornalista em Valência a convite da Mercadona 


(Notícia actualizada às 12:43 com mais informação)




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Lucia 14.03.2018

Conheço os espanhois de trabalhar de perto com eles, e posso garantir que os espanhois não valem nada, a forma como investem em Portugal é contratar operacionais, tudo o que é cargo de chefia e de direção é para espanhois, portugueses a gerirem nem pensar. espero que sejam um fiasco.

ricky 14.03.2018

Tem tudo para ser um enorme flop apesar do incrivel potencial que poderiam ter. Estratégia errada (quer nas localizações das futuras lojas, quer na aposta dos produtos/bens a comercializar, quer no que ás declarações publicas sem sentido acerca das suas escolhas). Isto cá não vai dar nada, e é pena.

Anónimo 13.03.2018

Eu não compro nada espanhol e todos os portugueses deveriam fazer isso. De Espanha nem bom vento nem bom casamento, só querem centrais nucleares e tudo do pior com radiação para poluirem os nossos rios e os nossos alimentos, façam boicote aos produtos espanhóis comprem só português.

Anónimo 13.03.2018

Em produtos portugueses não vai ter capacidade para os de cá... Agora nos produtos espanhois sim... Mas os portugueses haviam de fazer o que eles fizeram com o compal... Quando souberam que era português deixaram o produto nas prateleiras... os cidadãos espanhois valem poucas nozes...

ver mais comentários
pub