Construção Jorge Coelho de regresso à Mota-Engil mas sem funções executivas

Jorge Coelho de regresso à Mota-Engil mas sem funções executivas

Os accionistas da Mota-Engil aprovaram esta sexta-feira as contas de 2017, o alargamento do conselho de administração para 21 elementos e os novos órgãos sociais para o próximo quadriénio,
Jorge Coelho de regresso à Mota-Engil mas sem funções executivas
Paulo Duarte
Negócios 11 de maio de 2018 às 17:37

Os accionistas da Mota-Engil aprovaram esta sexta-feira, 11 de Maio, em assembleia geral os novos órgãos sociais para o mandato 2018-2021, dos quais volta a fazer parte o antigo CEO do grupo Jorge Coelho, mas agora como administrador não executivo

 

Em comunicado, a Mota-Engil adianta que na AG estiveram presentes representantes de 79,25% do capital social da empresa, tendo aprovado todos os pontos em agenda "por votações favoráveis superiores a 88% dos votos representativos".

De acordo com o grupo, a apreciação do relatório e contas do exercício de 2017 foi aprovada por unanimidade.

Os accionistas aprovaram ainda o alargamento do conselho de administração a 21 elementos, "reforçando a composição de forma a integrar as recomendações actualmente em vigor na vertente de corporate governance, assim como o reforço da análise estratégica no seio do seu principal órgão executivo do grupo", explica.

Além de Jorge Coelho, passam ainda a integrar o conselho de administração da Mota-Engil o embaixador Seixas da Costa, Sofia Cerveira Pinto e Ana Paula Sá Ribeiro.

A composição da comissão executiva mantém-se inalterada, continuando a ser encabeçada por Gonçalo Moura Martins.

A Mota-Engil apresentou resultados líquidos de 2 milhões de euros em 2017, menos 97% do que um ano antes, tendo decidido, pela pimeira vez, não entregar dividendos aos accionistas.




Saber mais e Alertas
pub