Construção Licenciamento de edifícios aumentou de Abril a Junho em relação a 2016

Licenciamento de edifícios aumentou de Abril a Junho em relação a 2016

O licenciamento de edifícios aumentou no segundo trimestre mais de 7% face ao mesmo período do ano passado. Mas comparativamente aos três primeiros meses do ano verificou-se uma queda. Foram licenciados 4,6 mil edifícios e concluídos 2,9 mil edifícios neste período em território nacional.
Licenciamento de edifícios aumentou de Abril a Junho em relação a 2016
Bruno Simão/Negócios
Negócios 13 de setembro de 2017 às 11:53

O número de edifícios licenciados em Portugal aumentou no segundo trimestre do ano, se compararmos com o mesmo período de 2016. Os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) indicam que os edifícios licenciados cresceram 7,4% de Abril a Junho face ao mesmo trimestre do ano passado. Este crescimento significa que foram licenciados 4,6 mil edifícios no período em causa. Face aos três primeiros meses do ano, o número de edifícios licenciados desceu 6,4%.

"Do total de edifícios licenciados, 67,3% corresponderam a construções novas e, destas, 69,8% destinaram-se a habitação familiar. Os edifícios demolidos (346 edifícios) corresponderam a 7,4% do total de edifícios licenciados no 2º trimestre de 2017", refere o INE.

O licenciamento de edifícios para construções novas aumentou de 12,4% no período. Por outro lado, no licenciamento de edifícios para reabilitação houve um decrescimento de 0,7%.

Ainda no âmbito dos edifícios licenciados, é possível perceber que o Norte, a Área Metropolitana de Lisboa e o Centro foram as regiões com uma expansão maior. Por outro lado, a Madeira, o Algarve e o Alentejo foram as regiões com uma variação homóloga negativa.

Foram concluídos, ao longo do segundo trimestre, 2,9 mil edifícios, o que reflecte um aumento de 12,2%.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub