Construção Mota-Engil prestes a vender participação na Indáqua

Mota-Engil prestes a vender participação na Indáqua

As negociações para a venda da posição de controlo na empresa de captação e distribuição de água estão adiantadas e um grupo israelita é o que está mais bem posicionado, noticia o Público.
Mota-Engil prestes a vender participação na Indáqua
Ana Brígida
Negócios 20 de janeiro de 2016 às 08:40

A Mota-Engil deverá concluir brevemente a venda da participação de 50,06% na Indáqua, empresa de captação e distribuição de água para consumo público, noticia esta quarta-feira o Público, acrescentando que esta operação insere-se na estratégia de venda de "activos maduros" para reduzir o endividamento.


Fonte ligada à construtora disse ao jornal estarem a ser analisadas várias propostas de compra, incluindo uma feita por um grupo israelita. A decisão de venda, adiantou ainda, será tomada no curto prazo.


O Público diz que as negociações para a venda da posição de controlo na Indáqua estão adiantadas e que o grupo israelita, cuja identidade não foi possível apurar, é o que está mais bem posicionado.


Os restantes 49,96% da empresa que detém cerca de 30 concessões municipais no Norte são detidos pelos alemães da Talanx, do grupo segurador HDL.


Esta semana, no comunicado que divulgou na sequência da acentuada queda do valor das suas acções, o grupo recordou a estratégia que passa pela alienação de activos com nível elevado de maturidade, nomeadamente nos segmentos das concessões de transporte e logística. É o caso da venda aos turcos da Yildirim do negócio da logísitica e concessões portuárias, a Tertir, por 275 milhões, que aguarda luz verde da Autoridade da Concorrência.


O Negócios sabe que nos próximos dias deverá ficar formalizado o investimento de 300 milhões que o grupo Ardian acordou fazer nas concessões rodoviárias da Ascendi. Também o processo de venda de até 60% do Ascendi Group, em conjunto com o Novo Banco, entrou agora na recta final, com a entrega de propostas vinculativas, de forma a que seja concluído em Fevereiro.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 20.01.2016

SOBRE O QUE SE TEM PASSADO EM BOLSA COM OSCILAÇÕES DISPARATADAS,
NÃO É ACEITÁVEL QUE A CMVM EM DIVERSAS SITUAÇÕES FIQUE IMPÁVIDA E SERENA E NOUTRAS INTERROMPA AS COTAÇÕES ESPECULATIVAS !!!
ASSISTIMOS A UMA VARREDURA EM LINHA NAS COTADAS A NÍVEL MUNDIAL !!! CUIDADO.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub