Desporto Emanuel Silva: "Isto sabe a ouro"

Emanuel Silva: "Isto sabe a ouro"

Os canoístas Emanuel Silva e Fernando Pimenta conquistaram hoje a primeira medalha para Portugal nos Jogos Olímpicos Londres2012, alcançando uma prata que "sabe a ouro" em K2 1.000 metros.
Emanuel Silva: "Isto sabe a ouro"
Lusa 08 de agosto de 2012 às 13:17
"Fomos para a prova com a mesma dedicação com que fomos para a eliminatória, para ganhar. Na eliminatória viemos para ganhar, infelizmente não conseguimos. Fomos para a final, viemos para ganhar, infelizmente não ganhámos, mas conseguimos [uma medalha], foi espectacular, isto sabe a ouro", disse Emanuel Silva.

No plano de água de Eton Dorney, a dupla portuguesa terminou a prova em 3.09,699 minutos e ficou a 53 centésimos da medalha de ouro conquistada pelos húngaros Rudolf Dombi e Roland Kokeny, relegando para o bronze os alemães Martin Hollstein e Andreas Ihle, campeões olímpicos em Pequim.

"Ganhámos uma medalha, e não podemos pedir mais. Temos a prata, o que podemos querer mais? Sim, ouro, mas a Hungria foi melhor do que nós hoje, por isso estamos felizes com a medalha", acrescentou o bracarense Emanuel Silva, depois de o K2 português ter alcançado o melhor resultado de sempre da canoagem.

Na hora a de dedicar a prata, Emanuel Silva, o mais experiente da dupla, com 26 anos e passagens em Atenas2004 e Pequim2008, nomeou a mulher e a filha, "as pessoas que mais sofrem" com a sua ausência, enquanto Fernando Pimenta vai deixar o troféu "passar pelas mãos dos amigos e da família, porque têm muito peso nesta medalha", a 23.ª do espólio olímpico português.

"É uma sensação incrível, porque treinámos muito nos últimos seis meses. É fantástico estar nos meus primeiros Jogos Olímpicos e ganhar uma medalha", disse o atleta de Vila Verde, de 22 anos.

"Analisámos os adversários, vimos os nossos pontos fortes e as tácticas dos outros e chegámos à conclusão de que tínhamos fortes possibilidades de chegar às medalhas, porque fazíamos os parciais todos mais rápido do que os adversários. Só na parte final é que quebrávamos um pouco. Tentámos gerir a prova e acreditar até final que a medalha era possível", contou.









A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
chaka 08.08.2012

Uma lufada de ar fresco no desporto Nacional, para provar que desporto não é só futebol, e que apesar das dificuldades e falta eterna de apoios existe quem teime em "remar" para a frente. Bravo

pub