Desporto FIFA impede Real e Atlético de Madrid de inscrever jogadores durante um ano

FIFA impede Real e Atlético de Madrid de inscrever jogadores durante um ano

Os dois principais clubes de Madrid estão proibidos de inscrever jogadores nas duas próximas janelas de mercado por terem infringido as regras relativas à contratação de futebolistas internacionais com menos de 18 anos de idade.
FIFA impede Real e Atlético de Madrid de inscrever jogadores durante um ano
Bloomberg / Reuters / Getty Images
David Santiago 14 de janeiro de 2016 às 13:55

O Real e o Atlético de Madrid estão impedidos de inscrever futebolistas durante os dois próximos períodos de transferências, no Verão deste ano e em Janeiro do 2017. A FIFA decidiu sancionar "merengues" e "colchoneros" por considerar que estes clubes infringiram as regras previstas no regulamento que enquadra as contratações de jogadores internacionais com menos de 18 anos de idade.

 

Ainda assim, os dois maiores clubes da capital espanhola poderão inscrever jogadores até 31 do presente mês de Janeiro, ficando depois impedidos de o fazer até ao Verão de 2017. É uma penalização em tudo idêntica àquela de que foi alvo o FC Barcelona, que depois de ter contratado Arda Turan e Aleix Vidal no Verão passado só agora em Janeiro pôde inscrever estes jogadores.  

 

Em comunicado, a FIFA justifica a decisão por ter concluído que o Real e o Atlético "violaram várias disposições relativas às contratações e ao primeiro registo de futebolistas estrangeiros menores de idade, assim como outras relativas à inscrição e participação de jogadores em determinadas competições".

 

O organismo que tutela o futebol mundial deu ainda um período de 90 dias para que os dois históricos do futebol espanhol regularizem a situação dos jogadores. As transferências em causa prendem-se com operações feitas pelo Atlético entre 2007 e 2014 e pelo Real entre 2005 e 2014.

 

Além da proibição de inscrição de jogadores, ambos os clubes terão de pagar coimas complementares: o Atlético de Madrid terá de pagar uma coima de 822,5 mil euros e o Real de 329 mil euros.

 

Esta penalização decorre da aplicação do Sistema Internacional de Transferências (TMS, na sigla inglesa), um mecanismo criado pela FIFA em 2007 e que entrou em vigor a 1 de Outubro de 2010.

 

O TMS tem como principal objectivo identificar eventuais irregularidades nas contratações internacionais, designadamente de futebolistas menores de idade, pugnando pela protecção destes jogadores e tentando contribuir para uma maior transparência nas operações internacionais entre clubes de futebol. 

Em reacção a esta sanção, segundo a Lusa, que cita declarações de responsáveis do Atlético de Madrid à agência EFE, os "colchoneros" já revelaram que o "mais provável" é que o clube recorra da decisão da FIFA.





A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
}
pub