Desporto KPMG: Ronaldo custa 340 milhões de euros à Juventus mas investimento deve compensar

KPMG: Ronaldo custa 340 milhões de euros à Juventus mas investimento deve compensar

A Juventus "terá de fazer um grande esforço para alavancar o investimento realizado com Cristiano Ronaldo", diz a KPMG.
KPMG: Ronaldo custa 340 milhões de euros à Juventus mas investimento deve compensar
Reuters
Negócios 23 de julho de 2018 às 15:35

A KPMG fez as contas e concluiu que a Juventus deverá sair a ganhar com a contratação de Cristiano Ronaldo. A estimativa aponta para um impacto financeiro de 340 milhões de euros ao longo dos quatro anos de contrato com o internacional português, mas em dois-três anos esse esforço já deverá ter sido compensado, uma vez que a consultora estima que o clube de Turim consiga ascender a receitas anuais de 500 milhões de euros nesse período.

 

"O impacto financeiro anual que a contratação de Cristiano Ronaldo terá nas contas da Juventus é de cerca de 85 milhões de euros, com um salário líquido de 30 milhões de euros (55-56 milhões de euros) e uma amortização anual de 29,25 milhões de euros, ou 340 milhões de euros ao longo do período de contrato de quatro anos", refere o estudo "De Madrid para Turim: Ronaldo Economics", realizado pela consultora.

 

O clube italiano pagou 112 milhões de euros pela aquisição do passe do ex-Real Madrid e o jogador receberá um salário líquido de 30 milhões de euros por ano.

 

Andrea Sartori, Global Head of Sports da KPMG, diz em comunicado que a Juventus "terá de fazer um grande esforço para alavancar o investimento realizado com Cristiano Ronaldo", sendo que os patrocínios serão uma das áreas chave. "Compromisso da gestão, criatividade, inovação e, potencialmente, novas práticas não implementadas ainda na Juventus FC, também serão necessárias para atender às expectativas de crescimento da receita", refere Sartori, que também alerta para "os riscos em que a Juventus FC incorre ao investir de forma tão avultada".

 

Para fazer face aos custos incorridos com a contratação de Ronaldo, a Juventus terá de vender passes de jogadores e "precisa de aumentar as receitas operacionais nas próximas temporadas".

 

É expectável que o clube campeão em Itália nos últimos anos clube "beneficie de um aumento do volume de negócios e, eventualmente, reduza a diferença actual de receita relativamente a outros clubes importantes da Europa", diz a KPMG, salientando por outro lado ser "improvável que se sintam grandes impactos positivos já no exercício financeiro de 2018/19".

 

No que diz respeito às receitas, a consultora calcula que "nos dias de jogo para 2018/19 podem variar entre os 55 e os 70 milhões de euros", estimando ainda que a Juventus "possa receber receitas totais de transmissões televisivas, a nível nacional e internacional, que podem variar entre cerca de 190 milhões de euros e 255 milhões de euros".

 

"No período de três temporadas de futebol, é realista que a Juventus FC acrescente um montante adicional de 75-100 milhões de euros, em complemento dos 120 milhões de euros comunicados nas suas contas mais recentes a 30 de Junho de 2017", refere a KPMG.

(notícia actualizada às 21:24, com valores expectáveis para as receitas anuais da Juventus)

 




pub