Desporto Ricciardi defende diminuição de custos para Sporting se aproximar das receitas

Ricciardi defende diminuição de custos para Sporting se aproximar das receitas

José Maria Ricciardi, vice-presidente do Conselho Fiscal do Sporting, disse hoje que o clube leonino "tem de diminuir os seus custos" para se "aproximar mais das receitas".
Ricciardi defende diminuição de custos para Sporting se aproximar das receitas
Lusa 06 de Fevereiro de 2013 às 00:41

À margem da conferência de imprensa em que foram apresentados os resultados do Banco Espírito Santo (BES), Ricciardi, presidente do BES Investimento, considerou que uma "maior racionalização não quer dizer que o Sporting não consiga resultados muito melhores". "O Sporting gasta quase o dobro do que o Sporting de Braga e vejam o desempenho de uma e de outra equipa", frisou o responsável do BES.

 

Ricciardi admite que a situação financeira do clube de Alvalade "não é brilhante", mas não se mostrou seguro de que as situações de outros clubes "sejam tão brilhantes quanto isso".

 

Um dia depois da renúncia em bloco dos órgãos sociais do Sporting, Ricciardi não sabe se voltará a integrar uma lista e prefere esperar para conhecer os projectos das futuras candidaturas. "Estive no Conselho Fiscal muito tempo. Em princípio não voltarei a integrar uma lista, mas se entenderem que sou útil num projecto que eu também entenda fazer parte da solução...", afirmou.

 

José Maria Ricciardi acredita que o Sporting "voltará à sua grandeza e a disputar títulos", lembrando que se trata de "um clube com mais de 100 anos" e que nos "últimos 12 tem mais títulos que o Benfica". "Esta equipa pode jogar muito mais. O Sporting tem de retomar a sua estabilidade e não vamos escamotear que toda esta instabilidade afecta a equipa de futebol", avaliou o presidente do BES Investimento.

 

Estas declarações foram proferidas um dia depois da renúncia em bloco dos órgãos sociais do Sporting e da marcação de eleições para 23 de Março, após um entendimento entre os presidentes do Conselho Directivo, Godinho Lopes, do Conselho Fiscal e Disciplinar, João Mello Franco, e da Mesa da Assembleia Geral, Eduardo Barroso.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado inguias 06.02.2013

Isso é óbvio em meu critério e até o Sporting não precisa de aquisições mas sim de rentabilizar a excelente matéria prima de que dispõe. Os serviços administrativos têm de ser muito reduzidos e sobretudoterá de haver UM DEDICAÇÃO muito maior a começar pelo presidente que for eleito. Penso que o principal problema foi que não houve dedicação apenas declarações de amor platónico que na hora da verdade desapareceu como era expectável.

comentários mais recentes
inguias 06.02.2013

Isso é óbvio em meu critério e até o Sporting não precisa de aquisições mas sim de rentabilizar a excelente matéria prima de que dispõe. Os serviços administrativos têm de ser muito reduzidos e sobretudoterá de haver UM DEDICAÇÃO muito maior a começar pelo presidente que for eleito. Penso que o principal problema foi que não houve dedicação apenas declarações de amor platónico que na hora da verdade desapareceu como era expectável.

Alberto 06.02.2013

O problema do Sporting são estes pavões que mandam muito mas não ajudam o clube em nada

pub