Desporto Um dos cinco candidatos à presidência da FIFA desistiu ainda antes da votação

Um dos cinco candidatos à presidência da FIFA desistiu ainda antes da votação

O sul-africano Tokyo Sexwale, um dos cinco candidatos à presidência do organismo que tutela o futebol mundial, retirou a sua candidatura. "A minha candidatura termina hoje (...) Deixo-vos quatro candidatos", disse Sexwale.
Um dos cinco candidatos à presidência da FIFA desistiu ainda antes da votação
David Santiago 26 de fevereiro de 2016 às 13:17

Ainda antes de começar a votação para escolher o futuro presidente da FIFA, um dos cinco candidatos à sucessão de Joseph Blatter retirou a sua candidatura. Trata-se do sul-africano Tokyo Sexwale, que anunciou estar "preparado para servir o próximo presidente" do organismo que tutela o futebol mundial. "A minha candidatura termina hoje, terminou a minha participação e deixo-vos quatro candidatos (...) agora é convosco", afirmou o antigo preso político durante o apartheid. 

Entretanto já começou mesmo a votação. Apesar de serem 209 as associações que integram a FIFA, apenas 207 se apresentam com direito de voto devido à suspensão decretada das associações nacionais do Kuwait e da Indonésia. O britânico Guardian refere que apesar da desistência do sul-africano Sexwale, não será de espantar que, mesmo assim, algumas associações acabem por votar neste agora ex-candidato. 

Para que seja escolhido um presidente, este tem de recolher dois terços dos votos na primeira votação. Caso não o consiga, há lugar a nova votação, em que basta uma maioria simples para que um determinado candidato vença. Se mesmo assim não houver nenhum candidato com um apoio maioritário, é eliminado o candidato com menos votos e, assim sucessivamente, o processo vai sendo repetido até que um candidato atinja a já referida maioria simples dos votos.

No ano passado, poucos dias depois do escândalo relacionado com a detenção de 14 dirigentes e ex-dirigentes da FIFA por suspeitas da prática de corrupção, e após uma primeira votação em que nenhum candidato obteve os necessários dois terços dos votos, Sepp Blatter acabou por ser eleito para um quinto mandato na segunda votação, já depois de o príncipe Ali Bin Al-Hussein da Jordânia ter retirado a sua candidatura a seguir à primeira volta em que havia tido menos apoios do que o dirigente suíço agora banido do dirigismo desportivo por um período de seis anos.

Antes de Sexwale já tinha ficado pelo caminho a candidatura de Michel Platini. Com o gaulês seriam seis os candidatos, mas Platini foi impedido por avançar com a candidatura por também ele ter sido banido pelo Comité de Ética da FIFA por um período de oito anos, penalização que, à imagem do sucedeu esta semana com Sepp Blatter, foi reduzida para seis anos. 


(Notícia actualizada às 13:45)


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub