Media  Google vai alterar regras de acesso gratuito a notícias

Google vai alterar regras de acesso gratuito a notícias

A gigante tecnológica decidiu alterar o sistema que permite aceder a três notícias gratuitas por dia e desenvolver um nosso sistema para simplificar a subscrição de artigos.
 Google vai alterar regras de acesso gratuito a notícias
Bloomberg / Reuters / Getty Images
Sara Ribeiro 02 de outubro de 2017 às 10:05

A Google decidiu acabar com o sistema que permitia aceder, no mínimo, a três notícias gratuitas por dia através do seu portal. Esta medida, anunciada esta segunda-feira em comunicado pela empresa, visa "reforçar a estratégia de apoio à indústria de notícias".

"A partir desta semana, vamos terminar com o sistema "First Click Free" que exigia aos publishers a disponibilização de no mínimo três artigos gratuitos por dia - via pesquisa Google ou Google Notícias - antes de exibir às pessoas uma "paywall"", sistema de pagamento pelo acesso a conteúdos, adianta a tecnológica no mesmo comunicado.

Com este passo, os grupos de media vão poder escolher quantos artigos querem disponibilizar no sistema "first click free" da Google mensalmente. "Esta abordagem "experimente antes de comprar" destaca o que muitos publishers já sabem: é preciso proporcionar algum tipo de amostra gratuita para se ter sucesso na Internet. Se for muito pouco, então, poucos utilizadores vão clicar nos links para esses conteúdos ou partilhá-los, o que pode ter um efeito na afinidade ou tráfego da marca ao longo do tempo", alerta a Google, acrescentando que "para a maioria dos editores de media, 10 artigos por mês é um bom ponto de partida".

A Google também está a desenvolver um novo sistema para simplificar a subscrição de conteúdos. A ideia passa por "tentar tirar partido das tecnologias de identificação e pagamento já existentes para ajudar as pessoas a fazerem assinaturas no website da publicação através de um único clique para, em seguida, terem acesso de forma simples a esses conteúdos em qualquer lado - quer seja no website do publisher, na aplicação mobile ou na pesquisa Google ou Google Notícias", detalha a empresa.

"Ao mesmo tempo que estudos mostram que as pessoas estão cada vez mais acostumadas com o pagamento de notícias, o processo, por vezes, doloroso de subscrição de uma assinatura pode conduzir ao seu abandono. Algo que não é ideal quer para os utilizadores quer para os publishers de notícias que vêem as assinaturas como uma fonte de receitas cada vez mais importante", explica a Google no mesmo comunicado.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar