Imobiliário  Valor das casas atinge máximos de seis anos

Valor das casas atinge máximos de seis anos

O Algarve continua a ser a região mais cara do país. O valor que os bancos atribuem às habitações em Portugal atingiu uma média de 1.135 euros por metro quadrado no mês de Setembro.
 Valor das casas atinge máximos de seis anos
Nuno Carregueiro 27 de outubro de 2017 às 11:35

O valor médio de avaliação bancária das habitações em Portugal situou-se em 1.135 euros por metro quadrado no mês de Setembro, o que representa um crescimento de 1,2% face a Agosto e 5,5% face ao mesmo mês do ano anterior.

 

Os valores revelados pelo Instituto Nacional de Estatística e mostram que a avaliação das casas, por parte dos bancos, está no nível mais elevado desde Maio de 2011.

 

Mantém-se assim a tendência de crescimento da avaliação bancária, que reflecte o bom momento que vive o sector imobiliário em Portugal, com um crescimento acentuado nos preços e no volume de vendas. Em Maio de 2014 o preço por metro quadrado estava abaixo de 1.000 euros e superou a fasquia dos 1.100 euros em Dezembro de 2016. O histórico do INE remonta ao primeiro mês de 2011, sendo que se nos próximos meses superar 1.156 euros irá atingir o máximo da série.  

 

No relatório publicado esta sexta-feira, o INE salienta que o valor médio de avaliação bancária aumentou de "forma generalizada, ou seja, em todas as regiões, em ambos os tipos de imóvel e quer em termos mensais quer homólogos".

 

Acrescenta que o valor médio das avaliações bancárias, face a Agosto, aumentou 0,7% para as moradias e 1,6% para os apartamentos, sendo que a nível regional, as maiores subidas registaram-se nas ilhas (Açores +2,1% e Madeira +2%), enquanto as subidas mais ténues verificaram-se no Alentejo (0,8%) e no Norte (0,6%).

 

No Algarve os preços das casas aumentaram 3,9% em termos homólogos, o que apesar de representar um abrandamento da taxa de crescimento e de esta ser inferior à média, reforçou o estatuto de região mais cara do país.

 

O preço do metro quadrado da avaliação bancária no Algarve atingiu 1.428 euros por metro quadrado, o que se situa acima dos 1.381 euros praticados na área metropolitana de Lisboa. Na Madeira (1.270 euros) o preço médio também está acima da média nacional, sendo que no Norte também se situa acima dos 1.000 euros.




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
òh Gente Há 3 semanas

Onde arranjam os bancos crédito mais seguro do que o crédito à habitação? Digam-me o que perderam os bancos com o crédito pessoal à habitação? Pois se o bem é sempre deles basta esperar 2 ou 3 anos e vem-no a ganhar .Já o mesmo não acontece com crédito dado aos amigos e empresas sem o mínimo de gar

Anónimo Há 3 semanas

Lá vêm eles brincar outra vez às casinhas e às dívidas. Foi tão giro da última vez! Mas vejam lá se desta vez não se aleijam tanto!

General Ciresp Há 3 semanas

Generalizar o pais com 3 locais totalmente viciados em gazes poluentes e uma ratoeira malandra.Como do costume e sempre o ze povinho(nabo)deixasse embalar na onda.Como diz o ditado controverso:se o meu vizinho tem,eu tenho tambem de ter.Tao bom seria que cada um se guiasse pela propria cabeca.

Anónimo Há 3 semanas

A construção nova está parada há anos e dizem as regras da inconomia q quando a procura aumenta o preço sobe ,vai haver um boom na construção nova ,novos empregos ,novas oportunidades ,os apagadores de fogos podem tirar o curso de inginhero por equivalências aos fogos q apagaram e os q construiram

ver mais comentários