O Negócios 19 anos: As várias homepages que o Negócios já teve

19 anos: As várias homepages que o Negócios já teve

O Negócios faz esta quarta-feira, 23 de Novembro, 19 anos. Foi lançado em versão digital em 1997. Veja como tem evoluído a homepage.
1 / 6

1997. Nasce uma "start-up" chamada MediaFin, que em Novembro lança o Canal de Negócios, primeiro sítio de economia online em Portugal. Dois meses depois nasceria o "irmão", em papel, Jornal de Negócios. 1999. O Canal de Negócios passa a incluir informação de mercados financeiros de todo o mundo. O novo sítio seria premiado como um dos melhores da Europa no segmento da economia. 2001. O site deixa de chamar-se "Canal de Negócios" e assume-se como Negocios.pt. Um novo grafismo torna a informação mais personalizada para o leitor. 2003. O novo grafismo da publicação, agora totalmente integrada no Grupo Cofina, nasce ao mesmo tempo da passagem da edição impressa de semanal para diária. A marca torna-se única: Jornal de Negócios, sendo esta a versão online. 2010, Negócios. A marca torna-se mais simples e unificada: Negócios. O site passa a incluir informação em mais plataformas multimédia, disponibilizando dados financeiros de todo o mundo. 2012, novo grafismo. Após 15 anos de liderança na informação económica online em Portugal, o Negócios melhora o sítio, integrando-o numa série de plataformas móveis e redes sociais. 2015. Do computador para o tablet para o telemóvel sem mais nenhum clique. O Negócios lançou a 30 de Setembro de 2015 uma nova versão do site com tecnologia "responsive" e um "design" mais moderno. 24 de Outubro de 2016. Negócios muda o rosto do seu site.
Negócios 23 de Novembro de 2016 às 09:45



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub