Energia 815 mil famílias beneficiadas com a tarifa social na electricidade

815 mil famílias beneficiadas com a tarifa social na electricidade

No espaço de um ano, os beneficiários da tarifa social aumentaram em 700 mil. A introdução da atribuição automática da tarifa social pelo Governo em Julho foi crucial para este crescimento.
815 mil famílias beneficiadas com a tarifa social na electricidade
André Cabrita-Mendes 16 de dezembro de 2016 às 13:14
A tarifa social na electricidade supera o número de 815 mil famílias carenciadas. Este é um valor que contrasta com as menos de 100 mil famílias abrangidas há um ano. 

Estas famílias vão usufruir de um desconto de 33,8% na electricidade em 2017. Os dados foram divulgados esta sexta-feira, 16 de Dezembro, pelo gabinete do secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches.

A contribuir para este aumento esteve a introdução da atribuição automática na tarifa social em Julho. Num primeiro momento, o número de abrangidos disparou para 630 mil. Mais tarde, em Setembro, o valor voltou a disparar: 690 mil beneficiários, isto após as condições de acesso terem sido revistas.

"Esta é uma realidade que contrasta com aquela que o Governo encontrou quando assumiu funções, em Dezembro passado. A tarifa social era então atribuída a 81 mil clientes em situação economicamente vulnerável", diz o gabinete de Jorge Seguro Sanches.

A tarifa social é totalmente suportada pelas empresas de energia. Anualmente, as eléctricas pagam 70 milhões de euros, com a maior fatia da factura a caber à EDP, pois conta com o maior número de beneficiários.

O desconto da tarifa social abrange os clientes que já se encontram no mercado liberalizado e tem agora em consideração a declaração de rendimento dos contribuintes de 2015.

Já no mercado regulado, as tarifas para o próximo ano vão subir 1,2%, conforme confirmou na quinta-feira a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Este foi o menor aumento do preço da luz no espaço de 10 anos. Jorge Seguro Sanches sublinha que esta "travagem na escalada dos preços só foi assim possível graças ao conjunto de medidas adoptadas pelo Governo para controlar os custos excessivos do sector".

Recorde-se que os 1,5 milhões de consumidores têm até final de 2020 para migrar para o mercado liberalizado. O prazo anterior estipulava que o prazo terminava no final de 2017, mas uma proposta do PCP aprovada pelo Parlamento no final de Novembro deu mais três anos para fazer esta transição.

A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 16.12.2016


OS CÃES RAIVOSOS DA FP_CGA

Os cães raivosos da FP_CGA abocanharam tudo e mais alguma coisa nos últimos 40 anos.

Sempre à custa dos trabalhadores e pensionistas do privado, que sustentam a FP e seus pensionistas a pão de ló.


comentários mais recentes
Anónimo 16.12.2016


Os ladrões de esquerda

Um governo de ladrões

PS - PCP - BE - e seus apoiantes - são uns PHILHOS DE PHU TA que xupam o sangue ao POVO...

para dar mais dinheiro e privilégios aos ladrões FP & CGA.


gps 16.12.2016

Que país de b0sta! Qualquer dia, a maioria das famílias tem de ter tarifa social. A maioria será pobre. Temos evoluído muito. Se em 2020 só haverá mercado liberalizado, a passagem é automática? Porque temos de ter o trabalho de mudar se o fornecedor é o mesmo e os equipamentos também?

Luzinha 16.12.2016

Isso da tarifa social da eletricidade é uma treta igual ao da isenção do IMI. Têm dinheiro para telemóvel, um ou vários carros à porta, tabaco, isenção taxa moderadoras, pequeno almoço fora, férias, etc ..etc... e estão isentos de IRS, IMI, e afins. Isto é tudo uma treta.

Anónimo 16.12.2016


OS CÃES RAIVOSOS DA FP_CGA

Os cães raivosos da FP_CGA abocanharam tudo e mais alguma coisa nos últimos 40 anos.

Sempre à custa dos trabalhadores e pensionistas do privado, que sustentam a FP e seus pensionistas a pão de ló.


ver mais comentários
pub
pub
pub
pub