PME  Empresas com garantias de 1,7 mil milhões em 2017
PME

Empresas com garantias de 1,7 mil milhões em 2017

O Governo assegurou, no Orçamento do Estado para o próximo ano, 1,5 mil milhões para seguros de crédito, caução, investimento e créditos financeiros. Outros 200 milhões serão canalizados para o Fundo de Contragarantia Mútuo.
 Empresas com garantias de 1,7 mil milhões em 2017
Pedro Elias/Negócios
Alexandra Noronha 14 de Outubro de 2016 às 15:37

O Orçamento do Estado (OE) tem previsto um montante de 1,7 mil milhões de euros em garantias de apoio às empresas, entre 1,5 mil milhões para "seguro de crédito, de créditos financeiros, seguro-caução e seguro de investimento" e 200 milhões "a favor do Fundo de Contragarantia Mútuo para cobertura de responsabilidades por este assumidas a favor de empresas, sempre que tal contribua para o reforço da sua competitividade e da sua capitalização", segundo se pode ler na proposta do Orçamento do Estado para o próximo ano, a que o Negócios teve acesso.

 

Além disso, segundo o documento, o Governo poderá dar garantias adicionais, excepcionais, para cobertura de responsabilidades no âmbito de investimentos financiados pelo BEI (Banco Europeu de Investimento), "no quadro da prestação ou do reforço de garantias em conformidade com as regras gerais da gestão de créditos desse banco", adianta o OE.

 

Recorde-se que as empresas se queixaram no início deste ano de atrasos nos seguros de crédito que estavam a prejudicar as exportações para países mais arriscados, como Angola por exemplo. A Cosec (Companhia de Seguros de Crédito) renovou para este ano a linha de seguros de crédito à exportação de curto prazo, segundo adiantou esta sociedade em comunicado. As empresas estavam preocupadas com atrasos nesta matéria. 

Esta entidade garantiu cerca de 176 milhões de euros de garantias, em 2015, que potenciaram exportações da ordem dos 720 milhões de euros, porque a garantia pode repetir-se ao longo do ano, segundo revelou em entrevista ao Negócios o presidente da Cosec, Miguel Gomes da Costa. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub