Energia Accionistas da EDP aprovam o primeiro aumento de dividendo desde 2012

Accionistas da EDP aprovam o primeiro aumento de dividendo desde 2012

O dividendo vai subir dos 18,5 cêntimos para os 19 cêntimos. A eléctrica tem 695 milhões de euros para distribuir em dividendos.
Accionistas da EDP aprovam o primeiro aumento de dividendo desde 2012
Miguel Baltazar
André Cabrita-Mendes 19 de abril de 2017 às 18:15

Os accionistas da EDP aprovaram o dividendo de 19 cêntimos por acção, conforme proposto pela administração da companhia.

 

Esta proposta foi aprovada com uma votação de 100% na assembleia-geral de accionistas da empresa que está a ter lugar esta quarta-feira, 19 de Abril, em Lisboa.

 

A eléctrica tem um total de 695 milhões de euros para distribuir em dividendos relativos ao exercício de 2016.

 

O dividendo vai assim subir pela primeira vez desde 2012, pois a EDP pagou uma remuneração de 18,5 cêntimos por acção desde 2012. Os 19 cêntimos representam assim uma subida de 3% em relação à remuneração paga no ano passado.

 

A EDP registou uma subida de 5% nos lucros anuais em 2016 para um total de 961 milhões de euros, os dividendos correspondem a 72% dos lucros obtidos em 2016.

 

Já a Fundação EDP vai receber um total de 7,2 milhões de euros, valor que se mantém inalterado desde 2012.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Conselheiro de Trump Há 1 semana

Que tipo de desgraca tera de acontecer aqui,para que os governos possam dizer:os dividendos so serao destribuidos pelas empresas que nao tenham dividas.O ladrao entra e sai sem que sejam postas trancas a porta,RARO.

Anónimo Há 1 semana

Mais u caso c os dos bancos. Quando há lucros dividem-se p acionistas e aumentam-se os ordenados ás chefias q até acabam p ser condecorados p PR c aconteceu. Q há prejuízos pagam os contribuintes. Porreiro Pá.
E ninguém vê isto? Já é tempo de alguém tentar p menos tirar-lhes estes abusos.

pub