Indústria Accionistas da Sumol+Compal votam a favor da saída de bolsa

Accionistas da Sumol+Compal votam a favor da saída de bolsa

A Sumol+Compal vai ser a próxima empresa a sair de bolsa. Os seus accionistas deram luz verde à perda da qualidade de sociedade aberta. O BPI votou contra e, por isso, a empresa vai comprar a sua posição.
Accionistas da Sumol+Compal votam a favor da saída de bolsa
Os accionistas da Sumol+Compal votaram a favor da saída de bolsa da empresa, o que já era aguardado uma vez que a proposta foi feita pelo accionista que domina a companha.

De acordo com o comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, a proposta de retirar a empresa de bolsa foi aprovada por 93,79% do capital, tendo votado contra 0,52%, que são detidos pelo BPI.

O votar contra nestes casos de perda de qualidade de sociedade aberta significa que os proponentes ficam obrigados a comprar, no prazo de três meses após o deferimento pela CMVM, as acções de quem votou contra. Neste caso do BPI. Mas há um direito de venda para todos os accionistas.

A proposta para retirar a empresa de bolsa foi feita pelos accionistas maioritários Refrigor e Frildo, que controlam mais de 90% dos direitos de voto.  

Quando foi anunciada a proposta, fonte próxima da Refrigor explicava que "não se justifica a manutenção da Sumol + Compal na Euronext Lisbon", devido ao baixo "free float" que a empresa de bebidas apresenta (actualmente é de 6,42%).

O processo passa agora para a CMVM para aprovar esta saída. No entanto, os proponentes já fizeram saber o preço que estão dispostos a pagar pelas restantes acções: 1,7181 euros por título, o preço médio ponderado das acções nos últimos seis meses, segundo já tinha sido comunicado à CMVM.

Com base neste valor, o BPI vai receber 542 mil euros pela sua participação. Um valor que poderá ascender a 6,67 milhões de euros se todo o "free float" for adquirido. 
O preço tem ainda de ser autorizado. A CMVM pode, em alternativa, pedir a auditor independente para definir um outro valor, mas a Refrigor e a Frildo já deixaram a ressalva que se o preço for determinado por um auditor independente e se for superior ao proposto, então a Refrigor e a Frildo deixam cair o pedido de exclusão das acções da Sumol+Compal de bolsa e a empresa continuará cotada.

A Sumol+Compal está hoje a negociar em bolsa no vermelho. Perde mais de 2%, para 1,641 euros. 

(Notícia actualização com mais informações às 11:18)



Saber mais e Alertas
pub