Tecnologias Acções da Toshiba afundam após prejuízos e demissão do presidente

Acções da Toshiba afundam após prejuízos e demissão do presidente

O gigante tecnológico japonês Toshiba 'afundou' hoje na bolsa de Tóquio mais de 8% após o anúncio, na terça-feira, de uma estimativa de prejuízos no actual exercício e da demissão do seu presidente, Shigenori Shiga.
Acções da Toshiba afundam após prejuízos e demissão do presidente
Lusa 15 de fevereiro de 2017 às 07:48

As acções da Toshiba baixaram hoje 8,75% na bolsa de Tóquio, fechando a valer 209,7 ienes (1,7 euros), apesar de no início da sessão de hoje terem chegado a 'afundar' mais de 12%, um cenário que contrastou com o ambiente vivido hoje na praça financeira japonesa, com ganhos generalizados devido à depreciação da divisa local.

 

Os investidores reagiram assim à delicada situação financeira que a Toshiba atravessa devido à desvalorização do seu negócio de energia nuclear nos Estados Unidos -- a Westinghouse Electric -- por causa da sua aquisição, no final de 2015, da construtora CB&I Stone & Webster.

 

Na terça-feira, a empresa tinha previsto apresentar os resultados correspondentes aos primeiros nove meses do exercício fiscal nipónico de 2016, mas decidiu adiar a divulgação por problemas na auditoria das contas.

 

Para o período em questão -- entre Abril e Dezembro de 2016 --, a Toshiba prevê um prejuízo de 500.000 milhões de ienes (4.144 milhões de euros), incluindo perdas de 712.000 milhões de ienes (5.902 milhões de euros) devido à desvalorização do seu ramo nuclear, segundo anunciou na terça-feira a empresa.

 

Com base nesta estimativa de resultados ainda não auditados, a Toshiba prevê registar perdas de 390.000 milhões de ienes (3.232 milhões de euros) em todo o exercício fiscal de 2016, mais do dobro do que calculara anteriormente (145.000 milhões de ienes ou 1.202 milhões de euros).

 

Na terça-feira, o presidente do gigante tecnológico japonês Toshiba, Shigenori Shiga, apresentou a demissão devido ao elevado prejuízo que a empresa prevê apresentar, assumindo "a responsabilidade pela gestão" que levou a estas sombrias perspectivas financeiras.

 

O presidente da tecnológica vai abandonar o cargo hoje, mas continuará como director-executivo até à assembleia geral de accionistas prevista para o próximo mês de Junho e até essa altura vai concentrar-se em "resolver os problemas relacionados com a Westinghouse Electric", segundo indicou a empresa na terça-feira.

 

Ainda segundo o comunicado emitido na terça-feira, a Toshiba pediu às autoridades financeiras para atrasar até 14 de Março a apresentação dos resultados da empresa relativos aos primeiros nove meses do exercício de 2016.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
nuno Há 2 semanas

Uma vez comprei um computador Toshiba, infelizmente.
Foram tantos problemas que acabei por deitar o computador no lixo. Nunca mais compro nada Toshiba.

pub