Turismo & Lazer Bloomberg destaca os Açores como o novo destino de aventura

Bloomberg destaca os Açores como o novo destino de aventura

A Bloomberg publicou esta semana uma reportagem sobre os Açores, onde destaca o arquipélago como o destino aventura que quer roubar o lugar da Islândia. Leia o artigo.
Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar
Miguel Baltazar - Fotografia
Bloomberg Miguel Baltazar - Fotografia 12 de novembro de 2016 às 11:00

Há milhões de anos, o manto borbulhante da Terra deu origem a nove pequenas ilhas no meio do Atlântico Norte. Hoje, os Açores - que estão localizados a 1.600 quilómetros da costa da Europa - são um reino tranquilo de pitoresco charme ibérico e verdes deslumbrantes preenchidos por videiras esculpidas por um dramático histórico de erupções vulcânicas.

 

Tal como a Islândia, os Açores oferecem lindas paisagens que não requerem filtro nas fotos, uma vibração evidentemente diferente da dos EUA (o arquipélago pertence a Portugal) e um local de paragem ultraconveniente no seu caminho para a Europa. Contudo, embora o seu primo do norte ganhe as manchetes com façanhas turísticas recorde - diversos meios de comunicação noticiaram que o país terá mais turistas americanos do que moradores locais em 2017 -, os Açores continuam a passar despercebidos.

 

Uma situação que está prestes a mudar.

 

Seguindo o exemplo da estratégia transatlântica da IcelandAir, a recentemente rebaptizada Azores Airlines (originalmente chamava-se SATA) aumentará as ligações para grandes cidades europeias em 2017; em teoria, as passagens aéreas ultra-acessíveis da empresa deverão aumentar o interesse na escala nos Açores. O plano é operar 972 voos totais no próximo ano (mais 46% do que em 2016) ligando passageiros americanos de Boston, Oakland e Providence (Rhode Island) a destinos como Lisboa, Porto, Barcelona, Praia (Cabo Verde), Londres e Frankfurt. A nova rota de Boston a Barcelona, por exemplo, terá preços a partir de 549 dólares.

 

Enquanto a Islândia começa a merecer um estudo sobre turismo desenfreado, os Açores esperam encontrar o equilíbrio entre aumentar a infra-estrutura e preservar os tesouros tangíveis e intangíveis que tornam o arquipélago tão único.

 

Locomoção

 

As nove ilhas dos Açores estão organizadas em três grupos geográficos - leste, centro e oeste -, sendo São Miguel a ilha mais populosa (e acessível), pertencente ao grupo do leste. É preciso um pequeno avião para visitar cada grupo de ilhas, embora também existam ligações por barco. Reserve algum tempo para explorar algumas das ilhas mais distantes - uma semana é o período ideal.

 

O que fazer

 

Na ilha de São Miguel, comece pela Lagoa das Sete Cidades, conhecida como uma das sete maravilhas de Portugal (afirmação prontamente confirmada pelos comissários de bordo quando está a aterrar).

 

Siga as suas indicações e veja as duas cativantes lagoas - uma azul e outra verde - que se unem no fundo da cratera. Os turistas costumam explorar as imediações da caldeira, enquanto outros desfrutam de remar nessas águas etéreas.

 

A animação em Ponta Delgada, principal cidade da ilha, contradiz a sua pequena população, de pouco mais de 70.000 habitantes. É a maior comunidade dos Açores e a sede do governo, ostentando o maior aeroporto e o porto de cargas do arquipélago.


Com um estilo único de arquitectura religiosa esculpido em pedra vulcânica porosa, a área central colonial da capital pode ser melhor aproveitada à noite com uma caminhada entre as ruas estreitas ou com petiscos ao longo da orla.

 

Nas outras ilhas

 

Se puder ir a apenas uma das demais ilhas, dê prioridade ao Pico. Oferece um poderoso contraponto a São Miguel, com cerca de um décimo da população e um enorme pico vulcânico cuja sombra se move pela paisagem como um relógio de sol.

 

Escalar até a cúpula do Pico, com forma de chapéu de bruxa, continua a ser a experiência mais icónica da ilha - uma caminhada que leva cerca de seis horas até o topo, ida e volta -, mas há muitas outras actividades que fazem a visita valer a pena.

 

Um exemplo: no século XIX, o Pico era uma das grandes produtoras de vinho da Europa e servia a aristocracia com uma bebida forte que não se podia encontrar em nenhuma parte no continente. E embora uma praga tenha praticamente aniquilado a indústria nos anos 1850, está agora a recuperar. A ilha mantém uma cultura de tabernas, nas quais os visitantes podem parar para provar bebidas fortificadas e comprar algumas garrafas.

Tradução de artigo publicado pela Bloomberg a 10 de Novembro. O original pode ser lido aqui




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Pricemt 23.05.2017

Fantástico Portugal ser finalmente reconhecido como o fantástico destino de férias que é.
Esperemos que com esta imensa pressão de procura não ocorram desvarios que no longo prazo inviabilizem a vocação turística deste País, na esperança de que todos tenhamos aprendido com as más experiências do passado e o que são as inegáveis tendências do futuro ; qualidade, diferenciação

nb 12.11.2016

O título devia ser: SÃO MIGUEL e as restantes OITO, já que, as fotos e o texto quase aquela dizem respeito. Enfim, escrever sobre o que não se conhece!
AÇORES = 9 Ilhas, cada qual com a sua beleza e sua oferta turística diferenciada. Se possível, visitem todas.

Anónimo 12.11.2016

Título deplorável, enfim.

Paolo Ferrer 12.11.2016

Qual o tradutor usado para traduzir o texto da bloomberg? Onde diz que querem o lugar da Islândia? Só se for o querer aprender com a Islândia...

pub