Telecomunicações Adiamento da assembleia da Oi é "excelente notícia" para obrigacionistas

Adiamento da assembleia da Oi é "excelente notícia" para obrigacionistas

A Candeias & Associados - Sociedade de Advogados, firma que representa centenas de lesados no caso da PT/Oi, considerou hoje que o adiamento da assembleia-geral de credores "é uma excelente notícia" para os obrigacionistas portugueses.
Adiamento da assembleia da Oi é "excelente notícia" para obrigacionistas
Reuters
Lusa 28 de setembro de 2017 às 13:28

Em comunicado, a firma de advogados justifica que, "por um lado, este adiamento sugere que existe um forte compromisso de a Oi pretender evitar a insolvência, admitindo pela primeira vez que precisa de apresentar um plano de recuperação economicamente sustentável, e que para isso precisa da colaboração dos credores".

 

"Por outro lado, este adiamento implica que o prazo de adesão ao programa para acordo com os credores possa ser adiado até ao dia 12 de Outubro", quando se previa que terminasse este mês de Setembro, acrescenta.

 

Este último programa permite arrecadar de imediato 90% da dívida, que equivale a 11.991,60 euros, sendo que o restante, quase 1.332,40 euros, será recebido até 10 dias úteis após a homologação do Plano de Recuperação Judicial, a ser votado na assembleia de credores.

 

A Candeias & Associados representa, actualmente, cerca de 200 obrigacionistas portugueses que aderiram a este programa, e que prevêem receber cerca de 2,66 milhões de euros (dependendo sempre das taxas de câmbio).

 

A empresa lembra que podem aderir "quaisquer obrigacionistas, independentemente do valor do seu crédito".

 

A Oi, onde a portuguesa Pharol é accionista de referência, pediu o adiamento da assembleia de credores para 23 de Outubro, anunciou hoje a operadora de telecomunicações brasileira.

 

Em comunicado, a Oi adianta que, "seguindo decisão do Conselho de Administração, a companhia solicitou ao juízo da recuperação judicial o adiamento da assembleia-geral de credores para o dia 23 de Outubro, em primeira convocação, e dia 27 de Novembro, em segunda convocação, tendo por fundamentos factores negociais visando a aprovação do plano e procedimentais relacionados" com a assembleia, "que podem acarretar em alterações no sistema de votação".

 

A Oi esclarece ainda que "não houve decisão sobre os termos de uma nova versão do plano de recuperação judicial da companhia e de suas subsidiárias em recuperação apresentado em 5 de Setembro ao juízo da 7.ª vara empresarial da comarca do Estado do Rio de Janeiro, nem tão pouco houve aprovação de modificações nas condições financeiras previamente aprovadas".

 

A operadora de telecomunicações brasileira "reitera que continua mantendo conversas com potenciais investidores, credores e demais 'stakeholders' [todas as partes interessadas] com relação a potenciais ajustes ao plano de recuperação judicial, incluindo eventual aumento com capitalização de dívida e aporte de novos recursos, tendo por objectivo buscar melhorias ao plano que possam ser aprovadas pela assembleia geral de credores, garantindo a sustentabilidade dos negócios da companhia".

 

A operadora "reafirma o seu compromisso de manter os seus accionistas e o mercado como um todo informados sobre o desenvolvimento do assunto, divulgando tempestivamente qualquer ato ou facto que venha a ser relevante".




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 02.10.2017

Impressionante a publicidade gratuita que este escritório de advogados está a ter à custa deste assunto.
Estranho é que as noticias vão sempre no sentido de peçam ajuda à sociedade de advogados, mas nunca vi referir o que poderá acontecer a quem não recorrer à dita sociedade, ou a outra qualquer...

jose santos 30.09.2017

Todos os advogados garantem que o plano de acordo para credores com créditos inferiores ou igual a 50.000,00 reais, a antecipação sera feita até dez dias uteis após a assinatura do termo acordo.
Objetivamente quando é assinado esse acordo?
Temos que esperar pela AGD?

Anónimo 28.09.2017

navigator dividendos extraordinarios esperem

enéas 28.09.2017

Uma empresa com milhões de clientes deve perto de 17 mil milhões de euros e está nessa situação. Imaginem a EDP, pequenina, que deve 20. Vamos ver quando estoira. Será totalmente chinesa em pouco tempo.

Saber mais e Alertas
pub