Banca & Finanças Administradores do Totta ocupam gestão do Popular

Administradores do Totta ocupam gestão do Popular

O presidente do Santander Totta, António Vieira Monteiro, passa agora a comandar também o Banco Popular Portugal.
Administradores do Totta ocupam gestão do Popular
Miguel Baltazar

Carlos Manuel Sobral Cid da Costa Álvares, Pedro Miguel da Gama Cunha, Susana de Medrano Boix e Hugues Victor Albert Pfyffer, respectivamente, cessaram funções de presidente e de vogais do conselho de administração do Banco Popular Portugal, informa o comunicado do Popular divulgado junto da CMVM.

 

Foram assim eleitos esta quarta-feira, 15 de Novembro, em Assembleia Geral, para completar o mandato em curso 2015/2018, três membros para o conselho de administração, refere o mesmo documento.

 

António Vieira Monteiro (na foto), presidente do Santander Totta, passa então a dirigir também o Popular Portugal. Com Vieira Monteiro chegam à administração do Banco Popular Portugal, na qualidade de vogais, mais dois administradores do Totta: José Carlos Sítima e Manuel Franco Preto.

 

O comunicado é emitido numa altura em que ainda se aguarda pelas autorizações do Mecanismo Único Europeu para que o Banco Popular Portugal seja integrado no Santander Totta.

 

Neste momento, o Popular Portugal ainda pertence ao espanhol Banco Popular, que por sua vez é detido pelo Banco Santander.

No passado dia 2 de Novembro, o Santander Totta assumiu que iria analisar quais as consequências da integração do Popular, nomeadamente em termos de pessoal. Mas sublinhou que não iria empreender medidas diferentes das que têm sido tomadas até aqui. Que, na prática, é a disponibilidade para rescindir

 

"Obtidas as autorizações, estaremos preparados para fazer os estudos necessários a essa integração", disse o presidente executivo António Vieira Monteiro, na conferência de imprensa de apresentação de resultados dos primeiros nove meses do ano, onde o lucro cresceu 13% para 331,9 milhões de euros.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

estes ladroes santtander continuam a desgraçar grandes bancos e a desgraçar a vida das pessoas em conjunto com um falso português ou seja mais parcido com um destruidor peço aos portugueses se não quizerem ser roubados e proteger o que è nosso por favor fujam da gatuno do Santander

Henrique Pires Há 3 semanas

Os bandidos, aqueles que não têm o mínimo respeito pelo ser humano, que despedem empregados como quem atira uma beata para o chão, têm sempre a passadeira vermelha estendida e são aplaudidos por uma imprensa caduca e vendida. Preparem-se trabalhadores do Popular para o que aí vem. Não será fácil, serão psicologicamente destruídos!

pub