Energia Água em Lisboa aumenta em média 38 cêntimos por factura

Água em Lisboa aumenta em média 38 cêntimos por factura

A actualização dos preços da água entra em vigor anualmente a 1 de Janeiro. A EPAL é responsável pelo abastecimento directo de cerca de 350 mil clientes no concelho de Lisboa.
Água em Lisboa aumenta em média 38 cêntimos por factura
Reuters
Lusa 30 de Dezembro de 2016 às 07:03
A maioria dos clientes domésticos da EPAL, que abastece de água o concelho de Lisboa, vai ter um aumento médio de 38 cêntimos mensais na factura da água a partir de domingo, informou hoje a empresa.

"Para a grande maioria dos clientes domésticos da EPAL, cerca de 85%, o novo tarifário para 2017 vai implicar uma actualização média de 38 cêntimos por mês (para um consumo médio mensal de 8 m3 e um contador de 15mm)", informou, numa nota, a Empresa Portuguesa de Águas Livres (EPAL).

A EPAL é responsável pelo abastecimento directo de cerca de 350 mil clientes no concelho de Lisboa.

A empresa destacou que tem disponível uma tarifa social destinada às famílias mais carenciadas, que prevê descontos que podem ir até aos 94%.

A EPAL alertou, ainda, que disponibiliza uma tarifa familiar destinada agregados com cinco ou mais pessoas.

A actualização dos preços da água entra em vigor anualmente a 1 de Janeiro, conforme fixado no Decreto-Lei 94/2015 de 29 de maio.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Mr.Tuga Há 3 semanas

Credo... TANTO!??!

Como vou conseguir pagar esse BEM (cada vez mais escasso) tão supérfluo?!

pub