Turismo & Lazer AHP: Lisboa, Algarve e Madeira quase esgotados na Páscoa

AHP: Lisboa, Algarve e Madeira quase esgotados na Páscoa

Os números são da Associação da Hotelaria de Portugal. Várias das unidades inquiridas pela associação dizem ter já a lotação esgotada para o fim-de-semana de Páscoa que se aproxima.
AHP: Lisboa, Algarve e Madeira quase esgotados na Páscoa
Reuters
Negócios 12 de abril de 2017 às 07:52

As taxas de ocupação dos três destinos nacionais mais procurados para estadias durante o período de Páscoa - Lisboa, Algarve e Madeira - superam os 90%. Os dados resultam de um inquérito divulgado esta terça-feira, 12 de Abril, feito pela Associação da Hotelaria de Portugal junto dos seus associados. Já no Porto a ocupação aproxima-se dos 100%.

De acordo com aquela entidade, os sinais de procura confirmam a expectativa dos hoteleiros nos últimos meses, que já antecipavam que esta época trouxesse taxas de ocupação superiores às registadas em 2016 (a nível nacional, 56% dos inquiridos apontavam para essa performance).

"Inquiridos esta segunda-feira pela AHP, vários hoteleiros associados apontaram um crescimento generalizado na ocupação, estando várias das unidades auscultadas já lotadas este fim-de-semana," refere um comunicado da associação. 

Noutros destinos não tão associados a esta época, como Porto e Açores, as taxas estão próximas dos 100% (98% no caso da Invicta). Também na Serra da Estrela as taxas de ocupação são "muito elevadas".

Os associados da AHP esperam que o preço cobrado por quarto aumente neste período (Lisboa e Porto já estarão a sentir este efeito) e que os hóspedes permaneçam três dias em média no hotel (aumentando para oito dias no caso da Madeira). 

A ajudar a prolongar algumas estadias está a previsão de bom tempo para os próximos dias. "A operação ainda não fechou e existe o factor 'last minute', pelo que estes resultados têm tendência para melhorar. No entanto, aguardaremos o fecho de Abril para confirmação desta tendência," afirma a presidente da direcção executiva da AHP, Cristina Siza Vieira, no comunicado.


Um quarto dos hóspedes terão origem no mercado nacional, com a AHP a destacar a "recuperação económica e do aumento histórico da confiança dos consumidores" que contribui para "estimular" o consumo privado. Espanha, França e Reino Unido seguem-se como outras principais origens de turistas.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub