Tecnologias Airbnb estará a negociar compra de rival chinesa

Airbnb estará a negociar compra de rival chinesa

A Airbnb estará a negociar a compra da chinesa Xiaozhu.com, de acordo com fontes da Bloomberg. O objectivo é expandir no mercado chinês, onde a start-up terá 10 milhões de utilizadores activos.
Airbnb estará a negociar compra de rival chinesa
Ana Laranjeiro 23 de Novembro de 2016 às 12:33

A Airbnb, plataforma de alojamento que permite arrendar casas a turistas, estará a negociar a compra da start-up chinesa Xiaozhu.com, que disponibiliza um site de reservas de quartos por um período curto de tempo. A informação está a ser avançada pela Bloomberg, que cita uma fonte familiarizada com o processo. As duas companhias terão mesmo já realizado várias reuniões e as negociações estarão avançadas. A realização do negócio é tida como provável, avança essa mesma fonte.

Com esta operação, a norte-americana Airbnb pode expandir a sua presença no mercado chinês, considerado como o segundo maior a nível mundial. Além disso, esta operação permitiria terminar com a luta que enfrenta com as rivais chinesas Xiaozhu e Tujia.com. A Airbnb tem já no seu portefólio 75 mil propriedades listadas em território chinês e tem planos para aumentar o número de trabalhadores neste país, segundo a Bloomberg.

A agência de notícias escreve ainda que a concretização deste negócio daria à Airbnb um "impulso instantâneo" no mercado chinês. E diminuiria os custos de entrar numa guerra por quota de mercado. A Xiaozhu, criada em 2012, terá levantado no início deste mês uma ronda de financiamento de cerca de 65 milhões de dólares. Conta com 10 milhões de utilizadores activos e tem mais de 100 mil entradas espalhadas por 301 cidades chinesas.


Em Setembro, a Airbnb levantou numa ronda de financiamento de quase 555,5 milhões de dólares. Esta ronda avalia a empresa em cerca de 30 mil milhões de dólares. Um dos objectivos deste financiamento seria a expansão mundial da companhia.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub