Aviação Airbus vende 140 aviões à China e negoceia fornecer mais A380

Airbus vende 140 aviões à China e negoceia fornecer mais A380

Apesar da redução do apetite das companhias aéreas por aviões de grande dimensão, a Airbus diz estar em negociações para vender mais superjumbos. Já o fabrico dos 100 aparelhos A320 será dividido entre a Europa e a Ásia.
Airbus vende 140 aviões à China e negoceia fornecer mais A380
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 05 de julho de 2017 às 16:24

O construtor europeu de aviões Airbus assinou a venda de 140 aeronaves – 100 aparelhos A320 e 40 A350 – à China e anunciou estar em conversações para fornecer mais superjumbos, os A380.

A encomenda de quase centena e meia de aparelhos está avaliada a preço de catálogo em 22 mil milhões de dólares, refere a Reuters, e foi formalizada esta quarta-feira, 5 de Julho, aquando da visita do presidente chinês Xi Jinping a Berlim.

Numa região onde a Airbus antevê potencial de encomendas na ordem de uma centena de aviões de grande porte, a presença do chefe de Estado chinês foi ainda aproveitada pela companhia para confirmar negociações para a venda de mais exemplares do maior aparelho produzido pela construtora, o A380.

Os registos da Airbus contam com 317 pedidos deste aparelho, tendo já sido entregues 213 aeronaves a 18 clientes, restando 104 aviões por entregar na folha de encomendas, numa altura em que as companhias favorecem a aquisição de aviões mais pequenos do mesmo fabricante, como o A350 ou o A320. 

As dificuldades de escoamento levaram a Airbus a reduzir de 20 para 14 os aviões a produzir em 2017 e a estreitar para 12 os aparelhos a construir por ano, em média, a partir de 2018. Há um ano, a meta apontava para a produção de 27 aviões por ano.

"Este é um grande respaldo aos nossos produtos líderes, tanto no segmento de corredor único como nos de fuselagem larga. A China é hoje um dos mais importantes mercados para a aviação," afirmou o CEO da companhia europeia, Tom Enders.

O acordo para a venda foi assinado com a China Aviation Supplies Holding e os aviões a fornecer serão distribuídos nos próximos cinco a seis anos por operadores aéreos. 

A construção dos A320 será repartida entre locais de produção na Europa e na China, onde a Airbus tem uma fábrica em Tianjin, a leste de Pequim.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar