Automóvel Alemanha estará a caminho de impor quotas para carros eléctricos

Alemanha estará a caminho de impor quotas para carros eléctricos

O Ministério do Ambiente alemão sustenta que sem a imposição de quotas para carros eléctricos o país poderá não conseguir cumprir as metas definidas para a emissão de dióxido de carbono.
Alemanha estará a caminho de impor quotas para carros eléctricos
Bloomberg
David Santiago 21 de agosto de 2017 às 15:58

Um porta-voz do Ministério do Ambiente da Alemanha, citado pelo Euractiv (site especializado em questões europeias), avisa que se não forem estabelecidas quotas mínimas para a utilização de carros eléctricos o país poderá não cumprir as metas estabelecidas, no âmbito do Acordo de Paris sobre as Alterações Climáticas, para a emissão de dióxido de carbono.

 

Além do ministério, controlado pelo SPD, o partido júnior da coligação governamental germânica, também o secretário de Estado do Ambiente, Jochen Flasbarth, anunciou que no próximo Outono deverá ser criada uma comissão destinada a analisar o problema. No entanto, Flasbarth não confirmou quaisquer eventuais planos para o estabelecimento de quotas.

 

Esta é uma questão sensível, tanto mais que deverá merecer a reprovação de vários elementos do partido (CDU) da chanceler alemã, Angela Merkel, e da CSU, o partido-irmão dos conservadores na Baviera. Ainda mais numa altura em que se aproximam as eleições federais agendadas para o final de Setembro.

 

Ulrich Lange, porta-voz da CSU para as questões relacionadas com transportes, critica tal possibilidade e lembra que ainda há cerca de meio ano foram introduzidos apoios para a compra de veículos eléctricos. Já a secretaria de Estado do Ambiente acredita que será a própria Comissão Europeia a propor, em breve, a imposição de quotas para carros eléctricos.

 

Este deverá ser um tema relevante no que resta de campanha até às eleições. Ainda este mês o SPD defendia que a União Europeia deveria promover uma mudança mais acelerada com vista à reconversão do parque automóvel europeu.  

 

A discussão que se verifica agora na Alemanha segue-se às anunciadas decisões da França e do Reino Unido de estabelecerem um prazo (2040) para o fim dos veículos movidos a combustíveis fósseis. Também a Índia (2030) e a Noruega (2025) já anunciaram datas para o fim dos veículos a gasolina e gasóleo. Já a fabricante sueca Volvo anunciou que após 2019 apenas produzirá veículos híbridos ou eléctricos.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 4 semanas

Estão todos muito preocupados com a sucata que vêm e com poluição não se preocupam é com o endividamento das pessoas o ideal é existirem escravos muitos escravos.

Anónimo Há 3 minutos

Adivinha-se mais inundação do nosso país de sucata vinda da Alemanha com todas as consequências para o ar que respiramos.

pub
pub
pub
pub