Automóvel Alemanha vai criar fábrica de baterias alternativa à Tesla

Alemanha vai criar fábrica de baterias alternativa à Tesla

A Terra E deverá abrir portas no final de 2019, contando com o apoio do Governo alemão. O projecto já reuniu 17 empresas daquele país e continua à procura de investidores.
Alemanha vai criar fábrica de baterias alternativa à Tesla
Miguel Baltazar
Negócios 03 de agosto de 2017 às 10:13

A Alemanha está a preparar o lançamento de uma nova fábrica de baterias de iões de lítio, criando assim uma alternativa à "gigafábrica" da norte-americana Tesla. A notícia foi avançada pela agência Bloomberg esta quinta-feira, 3 de Agosto.

O projecto, designado Terra E, escolherá entre cinco localizações na Alemanha ou países vizinhos já no próximo mês, instalando aí uma fábrica de baterias com uma capacidade de 34 gigawatt-hora. A abertura está prevista para o último trimestre de 2019, atingindo o potencial máximo nove anos depois.


À frente desta vontade está Holger Gritzka, antigo funcionário do ThyssenKrupp, que ajudou a reunir 17 empresas alemãs e o apoio do governo alemão a este projecto, para já com 5,2 milhões de euros.


É também uma mudança de direcção da indústria automóvel alemã rumo a uma mobilidade mais "verde", tendo em conta o uso destas baterias em carros eléctricos ou híbridos "plug-in". Ainda esta quarta-feira, 2 de Agosto, os principais fabricantes automóveis acordaram um plano para manter a circulação de viaturas com motores diesel, comprometendo-se a fazer alterações a 5,3 milhões de veículos para reduzir emissões de gases nocivos.


A Bloomberg recorda que a produção de baterias é uma área em expansão, prevendo-se que a produção de baterias a nível mundial duplique até 2021, atingindo os 278 gigawatt-hora. Já em Maio, o executivo de Angela Merkel tinha inaugurado uma outra fábrica de baterias Daimler, dona da Mercedes, num investimento de 500 milhões de euros.


Por sua vez, a Tesla ainda não decidiu onde instalar a sua primeira "gigafábrica" europeia, sendo Portugal um dos candidatos a este processo.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

é o Socialismo Germânico... os sindicatos os administradores os governantes juntam-se todos numa sala e definem estratégias para manter a Gross Deutschland Grande. Fazem-no sem protagonismos mas com resultados práticos... no final quem ganha é a Alemanha...

Anónimo Há 2 semanas

Pois.
as célebres fraudes com emissões diesel..principalmente nos EUA...
depois batem no trump por causa do acordo de paris..Baahh

pertinaz Há 2 semanas

PROJECTO DE 5 MILHÕES QUANDO A MERCEDES SOZINHA VAI INVESTIR 500 MILHÕES ???

PARECE-ME QUE QUEM TRADUZIU ESTA NOTÍCIA ESTÁ UM POUCO BARALHADO...

pub
pub
pub
pub