Turismo & Lazer Alguns segredos do maior cruzeiro do mundo

Alguns segredos do maior cruzeiro do mundo

Numa altura em que muitos turistas exigem "experiências autênticas", o sector de cruzeiros reforça a aposta exactamente no contrário: diversão completamente fabricada.
Alguns segredos do maior cruzeiro do mundo
Reuters
Brandon Presser - Bloomberg 03 de fevereiro de 2018 às 12:00

Numa altura em que muitos turistas exigem "experiências autênticas", o sector de cruzeiros reforça a aposta exactamente no contrário: diversão completamente fabricada.

 

A líder do sector é a Royal Caribbean Cruises, cujos mega-navios são um destino em si mesmos. Os seus restaurantes, casinos, musicais do nível da Broadway, festas de discoteca silenciosa, pistas de patinagem, karaoke, clubes de dança e salas de jogos são incentivos tão atractivos que alguns hóspedes nem sequer se preocupam em saber onde o navio vai atracar.

 

Então, quando esta companhia de cruzeiros me convidou para ser director temporário do seu maior navio, o Harmony of the Seas - cinco vezes maior do que o Titanic -, eu sabia que aquela seria a semana mais louca da minha vida.

 

Como director de cruzeiros, a minha principal responsabilidade era zelar pela felicidade de 6.322 passageiros e mais de 2.200 tripulantes. Ao longo de uma semana, fui o gestor de todos os departamentos, das actividades náuticas e de entretenimento à receita a bordo, certificando-me de que todos e tudo funcionassem em harmonia. De abastecer o maior buffet do mundo e evitar desastres gastrointestinais até receber hóspedes famosos, tudo é 10 vezes mais louco quando você é o director de uma cidade que flutua no meio do mar.