Tecnologias Alibaba compra plataforma de bilhetes para continuar "romance sério"

Alibaba compra plataforma de bilhetes para continuar "romance sério"

A gigante chinesa liderada por Jack Ma comprou a totalidade da plataforma chinesa de venda de bilhetes online, a Damai.cn. A operação insere-se na estratégia de entretenimento da empresa.
Alibaba compra plataforma de bilhetes para continuar "romance sério"
Reuters
Ana Laranjeiro 21 de março de 2017 às 11:06

A Alibaba, plataforma de comércio electrónico chinesa, comprou a totalidade da plataforma de venda online de bilhetes Damai.cn. A operação foi anunciada pela gigante tecnológica chinesa liderada por Jack Ma (na foto). "A Ali anuncia a aquisição da Damai, [como] parte da nossa grande estratégia de entretenimento", revelou a empresa na sua plataforma Sina Weibo, citada pela Reuters. "Assim, continua um romance sério de três anos", uma vez que a Alibaba investiu, pela primeira vez, na Damai em 2014.

À Reuters, a Alibaba sustentou que a compra da Damai "cabe perfeitamente na nossa estratégia de ‘saúde e bem-estar’ e forma uma parte da estratégia da cadeia de valor do nosso negócio de media e entretenimento".


"A Damai.cn vai ser uma plataforma ponderosa para distribuir os nosso conteúdos de media bem como para expandir o nosso alcance e envolvimento dos clientes", acrescentou. A Damai, por sua vez, já veio a público sublinhar que está feliz por juntar-se à "família Alibaba".


Esta não foi a única compra da gigante Alibaba durante este ano. No final de Janeiro, foi noticiado que a Ant Financial, braço financeiro da Alibaba, fechou um acordo com a MoneyGram para comprar a unidade financeira desta última. O negócio foi fechado por 880 milhões de dólares e tem como objectivo a expansão da Alibaba nos EUA, Índia e Tailândia.


"A compra da MoneyGram é um passo significativo na nossa missão de oferecermos serviços financeiros inclusivos aos utilizadores em todo o mundo", afirmou o presidente executivo da Ant Financial, Eric Jing, num comunicado, citado pela imprensa internacional.


No trimestre que terminou a 31 de Dezembro de 2016, as receitas do grupo Alibaba cresceram 54% para 7,7 mil milhões de dólares.

O recorde de vendas registado no 'Dia dos Solteiros', celebrado a 11 de Novembro, contribuiu em grande parte para os resultados. Só nesse dia, os comerciantes que integram a plataforma chinesa de comércio electrónico registaram um volume total de vendas de 120,7 mil milhões de yuan (17,6 mil milhões de dólares), um aumento de 32% face a 11 de Novembro de 2015. Este valor não tem em conta os custos da empresa para realizar as vendas.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub