Tecnologias Altice assina acordo com Ericsson para acelerar 5G a partir de Aveiro

Altice assina acordo com Ericsson para acelerar 5G a partir de Aveiro

O objectivo da parceria é promover a adopção de tecnologias 5G a partir da Altice Labs, quartel-general de inovação do grupo francês inaugurado há um ano.
Altice assina acordo com Ericsson para acelerar 5G a partir de Aveiro
Bruno Simão
Sara Ribeiro 17 de fevereiro de 2017 às 11:00

A Altice Labs, antiga PT Inovação, assinou esta sexta-feira um memorando de entendimento com a Ericsson para o desenvolvimento do 5G.

 

A assinatura deste acordo, que tem como objectivo promover, e acelerar, a adopção de tecnologias 5G para diferentes aplicações, marca também o primeiro ano de vida da Altice Labs.

 

Esta parceria será trabalhada no novo espaço do centro de inovação em Aveiro dedicado  a soluções para a rede 5G, uma das principais apostas da Europa para voltar a liderar na inovação tecnológica, tendo em conta que a última vez que ocupou o pódio neste campo foi com a rede GMS.

 

E a Altice também quer ter uma palavra a dizer nesta área. Dos 19 projectos para o desenvolvimento co-financiados com apoios comunitários, o grupo de Patrick Drahi (na foto) lidera quatro desses consórcios. E o desenvolvimento desses projectos também vai ser feito a partir deste novo laboratório em Aveiro.

 

Para celebrar o aniversário da inauguração do quartel-general do centro de inovação da Altice, evento que contou com a presença de Patrick Drahi e de uma vasta comitiva de responsáveis da Altice e membros do Governo, a PT decidiu também abrir o Future Lab.

 

Este laboratório pretende ser um espaço aberto à comunidade para o desenvolvimento e experimentação de novas ideias e tecnologias. Um estudante, por exemplo, pode aproveitar os equipamentos disponibilizados pela Altice Labs para desenvolver uma solução.

 

Para Michel Combes, CEO da Altice, "a PT foi sempre uma referência a nível mundial pela sua capacidade de inovação e de liderar as grandes tendências em telecomunicações e tecnologia. Grande parte destas tendências e soluções foi desenvolvida aqui em Aveiro",  acrescentou o presidente executivo do grupo francês que marcou presença em Aveiro no primeiro aniversário do centro de inovação.

 

Já Paulo Neves, CEO e agora "chairman" da Meo, confessou que "é um orgulho poder liderar a exportação não só de tecnologia, como também de conhecimento, e evidenciar que Portugal é uma incubadora de talento, ambição e visão estratégica, reconhecida nacional e internacionalmente".

 

As soluções desenvolvidas  em Aveiro são exportadas para vários países onde o grupo francês está presente como EUA,  França, Israel, República Dominicana e Martinica. Alem disso, a tecnologia portuguesa criada de raiz na Altice Labs também é importada pela Índia, Rússia e Brasil.


A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Fanhoso 17.02.2017

anónimo estas com medo de dar a cara
De certeza que a Pharol e Casino
Percebes de bolsa
Olha-a tão certinha a minha Pharol.
Já valorizou mais de 80% este ano
E a NOS?
Nem chega aos calcinares
Pharol teve instabilidade 2 feira é 3 feira, porque valorizou muito, agora está certinha
Tem juizo

Anónimo 17.02.2017

Fanhoso vai-te tratar, pharol é casino puro, NOS é uma cotada sólida...não são do mesmo campeonato, apesar de estarem no mesmo índice.

Fanhoso 17.02.2017

Anónimo das letras grandes, ou estás numa página ou estas na outra
És um jogador de quinta categoria a esquerda
Já te conheço de gingeira e a tua letra
Estas entalado porque queres na papeleira
Deves andar com os nervos à flor da pele por isso não sais daqui.
Pichotas deves perceber né..

Anónimo 17.02.2017

A PHAROL DEIXOU OS BARCOS TODOS Á DERIVA ,NÃO BRILHA, O ARMANDINHO NUNCA MAIS SE OUVIU FALAR NELE, NEM NO HELIO QUE POUSAVA JUNTO DA PICINHA LÁ POR VIEIRA DO MINHO. SERÁ QUE JÁ NAO TEM PISTA DE ATERRAGEM? VÁ LÁ PHAROL, VÊ SE BRILHAS UM POUCO NA BOLSA,TEM MUITO CU DADO COM OS BRAZUCAS.SENÃO?

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub