Telecomunicações Altice dá pontapé de saída para entrada em bolsa de negócio nos EUA

Altice dá pontapé de saída para entrada em bolsa de negócio nos EUA

A Altice submeteu ao supervisor norte-americano o pedido de registo para a oferta pública inicial da sua subsidiária dos Estados Unidos.
Altice dá pontapé de saída para entrada em bolsa de negócio nos EUA
Bloomberg
Alexandra Machado 11 de abril de 2017 às 14:42

A Altice, dona da Meo em Portugal, detida pelo milionário Patrick Drahi (na foto), deu o pontapé de saída para a oferta pública inicial (IPO na sigla anglo-saxónica, referindo-se à inicial public offer) da sua unidade nos Estados Unidos.

De acordo com um comunicado da Altice, a empresa submeteu à SEC (Securities and Exchange Commission), supervisor do mercado de capitais norte-americano, o pedido de registo.

O número de acções que será colocado no mercado e o intervalo de preços não foram, ainda, determinados", lê-se no comunicado. A Reuters já adiantou que a oferta poderá atingir no total os dois mil milhões de dólares. Na semana passada a Bloomberg acrescentava que a empresa poderia colocar cerca de 20% do seu negócio dos Estados Unidos em bolsa.


O pedido foi submetido mas ainda não concedido, salienta a Altice, que tem para a oferta pública inicial da Altice USA os bancos JP Morgan, Morgan Stanley, Citigroup e Goldman Sachs como colocadores.

Segundo a Reuters, que cita o documento enviado à SEC, a Altice USA pretende aumentar a sua situação financeira para comprar activos nos negócios de banda larga e media nos Estados Unidos. A Altice tem um elevado nível de endividamento, em particular com as compras nos Estados Unidos das operações de televisão por cabo Cablevision (Optimum) e da Suddenlink Communications, pelo que o mercado de capitais será a forma de financiar crescimento futuro. E já se apontam possíveis alvos: a Cox Communications, detida em 31% pela Canada Pension Plan Investment Board e pela BC Partners, tem sido referida como estando na mira da Altice USA. 

A 8 de Dezembro, a Altice tinha feito um comunicado em que anunciava estar a explorar a possibilidade de um IPO de uma participação minoritária da operação nos EUA. Agora dá mesmo o primeiro passo. 


No conjunto do ano de 2016, o grupo gerou receitas nos Estados Unidos de 5,4 mil milhões de euros, de acordo com o relatório da companhia de Patrick Drahi. O EBITDA atingiu 2,2 mil milhões de euros. No final do ano, a dívida líquida do grupo Altice atingia os 50,4 mil milhões de euros, sendo perto de 20 mil milhões referentes aos Estados Unidos. 




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Zé Ninguém Há 18 horas

Parabéns anónimo. Se correr mal mais uns tantos bancos para salvar.....

Rado Há 1 semana

Pontapé de saída para entrada? Não está muito bem.

Anónimo Há 1 semana

Milionário, uma tanga , com o dinheiro que ele deve aos bancos é o pior pé rapado a face da terra, os bancos é que estão entalados que não o podem deixar cair, Vejam lá se em França ele comprou mais qq coisa, o governo proibiu logo, isto sim é um embuste

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub