Telecomunicações Altice promete mais investimento em Portugal, mas com "eficiência" do lado dos custos

Altice promete mais investimento em Portugal, mas com "eficiência" do lado dos custos

O CEO da Altice sublinhou que está “muito satisfeito” com a estratégia e resultados da Meo. E garantiu que a empresa vai continuar a “investir bastante” no país, mas também manter o “plano de eficiência de custos operacionais”.
Altice promete mais investimento em Portugal, mas com "eficiência" do lado dos custos
Paulo Duarte/Negócios
Sara Ribeiro 28 de julho de 2017 às 16:12

A Altice está "muito satisfeita com a estratégia e resultados que a operação em Portugal, através da Meo, tem registado. A garantia foi dada esta sexta-feira pelo presidente executivo do grupo francês, Michel Combes, durante a conferência telefónica com analistas no âmbito dos resultados do segundo trimestre deste ano.

 "As receitas [da Meo] continuam estáveis, depois de vários anos em queda", comentou Michel Combes, destacando o crescimento no segmento móvel e a expansão da rede de fibra óptica.

"A nossa estratégia [para o mercado português] está a resultar", acrescentou. Por isso, "não tenho dúvidas de que vai continuar estável e até melhorar".

De Abril a Junho, as receitas da Meo totalizaram 576 milhões de euros, um valor praticamente idêntico ao alcançado no mesmo período do ano passado, tendo registado uma subida de 0,1%.

Em relação à expansão da rede, a Meo fechou o segundo trimestre com 4,999 milhões de euros de casas cabladas, com 3,451 milhões com fibra óptica.

Questionado sobre a recente greve dos trabalhadores da PT Portugal e sobre as críticas do primeiro-ministro, António Costa, Michel Combes explicou apenas que a empresa começou a transferir alguns trabalhadores para outras empresas, "o que motivou a greve".

O presidente executivo da Altice garantiu ainda que a empresa tem estado em contacto com os sindicatos por causa da situação, aproveitando para sublinhar que o grupo tem "investido bastante em Portugal". "E vamos continuar a investir", assegurou.

Quanto às poupanças que o grupo espera alcançar, Michel Combes respondeu que o objectivo é "continuar com o plano de eficiência de custos operacionais".

 




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 29.07.2017

Vai investir para que as empresas do Armando Pereira Lda. continuem a desnatar a Meo e inaugurar call centers. Não se esqueçam de convidar o Pires de Lima que até vai ser companheiro na TVI. Esta gente acha que nos engana. Vamos dar luta. E o Ministerio Publico?

Pois sim... 28.07.2017

Só conversa fiada...a Altice vai continuar a fazer o mesmo que já faz em Portugal há mais de 5 anos! O resto é conversa...

Eles querem investir ! mas a que 28.07.2017

preço ? É esta a pergunta. Cabe ao governo mostrar se aceita estas condições tal como a querem. Pessoalmente acho que à margem de manobra para negociar e que o governo assim fará.

pub