Telecomunicações Altice passa a controlar três prestadoras de serviços do sector

Altice passa a controlar três prestadoras de serviços do sector

A dona da Meo comprou a Parilis SA, holding que detém a Sudtel, a Tnord e a Arcitaura Redetelecomfib, fornecedoras do sector de telecomunicações, incluindo da PT Portugal.
Altice passa a controlar três prestadoras de serviços do sector
Bruno Simão
Sara Ribeiro 18 de Outubro de 2016 às 18:29

A Altice comprou a totalidade da Parilis, fornecedora do grupo em vários mercados. Em Portugal, a Parilis, sociedade de direito luxemburguês, está presente através das subsidiárias Sudtel Tecnologia, Tnord – Tech e Arcitaura Redetelecomfib, de acordo com a notificação feita pela dona da Meo à Autoridade da Concorrência divulgada esta terça-feira, 18 de Outubro.

Estas empresas, registadas em Portugal em Setembro de 2015 segundo o Portal da Justiça, são fornecedoras do grupo Altice em vários mercados onde está presente. Em Portugal também são fornecedoras da Meo, assumindo a construção e manutenção de redes de telecomunicações, bem como de serviços de apoio ao cliente.  

A entrada destas empresas para o universo de fornecedores da Meo aconteceu pouco tempo depois da Altice assumir os comandos da empresa e da renegociação dos contratos com alguns fornecedores. E segue a estratégia do grupo francês de  criar sinergias a nível global.

Em Portugal, estas renegociações levaram à substituição de alguns fornecedores históricos em alguns dos serviços que prestavam à operadora, como foi o caso da Visabeira. A empresa, que chegou a ser accionista da PT, era uma das responsáveis pela construção da rede da operadora. No entanto, terá sido substituida no projecto da recente expansão de fibra óptica da Meo pelas empresas da Parilis, como noticiou o Expresso em Fevereiro deste ano.

Também o CEO da Novabase, fornecedora de longa data da PT, admitiu ao Negócios que no seguimento das renegociações dos contratos, a tecnológica cortou alguns dos serviços que prestava à operadora no seguimento da nova estratégia Novabase de desinvestir nas áreas com menor taxa de rentabilidade, disse Luís Salvado.

A operação da compra do controlo exclusivo sobre a Parilis S.A. foi concretizada através da Altice International, segundo a notificação publicada pelo regulador da concorrência português.

A compra da totalidade da Parilis não é exclusiva aos activos presentes no mercado português. No início de Setembro já tinha sido noticiado a aquisição desta empresa na sua totalidade pelo grupo de Patrick Drahi, bem como da Intelcia, empresa de prestação de serviços ao cliente, pelo valor de 200 milhões de euros.

(Notícia actualizada às 19:19 com mais informação)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub