Indústria Altri volta aumentar preço da pasta em Novembro

Altri volta aumentar preço da pasta em Novembro

A subida de preços está a ser anunciada por vários produtores da matéria-prima e reflecte o forte aumento da procura.
Altri volta aumentar preço da pasta em Novembro
Bloomberg
Nuno Carregueiro 23 de outubro de 2017 às 11:21

A Altri vai aumentar o preço de venda da pasta branqueada de eucalipto (BEKP) na Europa, a partir de 1 de Novembro, com a tonelada da matéria-prima a subir 30 dólares, para 970 dólares.

 

Este aumento surge depois da líder mundial do sector, a brasileira Fibria, ter anunciado uma subida de preços idêntica, que normalmente é seguida pelos concorrentes. Além do mercado europeu, a Fibria também elevou os preços na Ásia e na América do Norte.

 

A espanhola  Ence também já anunciou uma subida em 30 dólares no preço de venda da BEKP, citando a forte procura em todos os mercados, que está a subir a um ritmo claramente superior ao do aumento da oferta, o que leva os stocks para níveis reduzidos.

 

Fonte oficial da Altri disse ao Negócios que a empresa portuguesa também irá subir os preços a partir do início do próximo mês e partilha da visão que a espanhola Ence faz do actual momento do mercado.

 

O aumento, que será efectivo em Novembro, será o último de série de agravamento de preços que ocorreram este ano, que está a ser muito positivo para o sector das produtoras de pasta de papel. A 1 de Janeiro a tonelada de BEKP era vendida a 680 dólares, pelo que em 11 meses a subida totalizará mais de 40%.

 

Esta subida de preços justifica o bom momento que as cotadas do sector têm registado em bolsa, com a Altri a atingir máximos históricos nas últimas semanas e a Navigator a negociar em máximos de Maio de 2015. Comparando com a Altri, a produção de pasta tem um peso inferior no volume de negócios da ex-Portucel.

 

Este aumento de preços é "claramente positivo para o ‘momentum’ das acções", referem os analistas do BPI, estimando que os preços da pasta vão atingir "máximos históricos semelhantes aos fixados em 2010".

 

O BPI acrescenta que a subida de preços está também relacionada com vários eventos extraordinários do lado da procura e da oferta, embora estime que os preços continuem elevados no médio-prazo (2019-2020). Ainda assim, afirma que as cotações das empresas do sector estão já a descontar um "insustentável cenário muito optimista".

 

A Altri (que partilha parte da estrutura accionista com a Cofina, empresa que controla o Negócios) está a subir 0,17% para 5,46 euros, muito perto do máximo histórico fixado a 20 de Outubro nos 5,55 euros.

 

A Navigator valoriza 0,44% para 4,356 euros, perto do máximo de mais de dois anos fixado a 12 de Outubro nos 4,39 euros.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub