Indústria Álvaro Amaro lamenta não ter sido ouvido pelo Governo na estratégia nacional para o lítio

Álvaro Amaro lamenta não ter sido ouvido pelo Governo na estratégia nacional para o lítio

O autarca emitiu hoje um comunicado onde manifesta o seu protesto pelo facto de o Governo "ter apresentado em Bruxelas uma Estratégia Nacional para a fileira do lítio sem ter havido nenhum diálogo com o município da Guarda".
Álvaro Amaro lamenta não ter sido ouvido pelo Governo na estratégia nacional para o lítio
Miguel Baltazar
Lusa 12 de fevereiro de 2018 às 19:07

O presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro (PSD), lamentou hoje não ter sido ouvido pelo Governo na estratégia nacional para o lítio, por ser conhecido o "potencial" desta fileira no seu concelho.

 

O autarca emitiu hoje um comunicado onde manifesta o seu protesto pelo facto de o Governo "ter apresentado em Bruxelas uma Estratégia Nacional para a fileira do lítio sem ter havido nenhum diálogo com o município da Guarda".

 

"Numa altura em que é particularmente importante olhar para o interior como um todo, não se compreende que o Governo dialogue apenas com uma parte", lê-se na nota hoje enviada à agência Lusa.

 

No comunicado, o autarca considera que "mais grave é ainda o facto de ser público que tal procedimento foi diferente com uma autarquia gerida pelo Partido Socialista".

 

"Na verdade, não é admissível haver por parte do Governo dois pesos e duas medidas", sublinha.

 

Para o social-democrata Álvaro Amaro, o Plano Estratégico para o sector "devia ter sido assumido como um importante motor de desenvolvimento, mas assumido por todos, independentemente da cor política".

 

"Um Plano Estratégico deve ser nacional, deve ser do país e não apenas de quaisquer conveniências políticas", sublinha.

 

O município da Guarda adianta ainda na nota que apresentará ao Governo este seu protesto e "exige ser ouvido" em relação a todo o desenvolvimento do referido plano, porque, alega, "está em causa a exploração de um recurso natural muito importante para a Guarda e para toda a região".

 

"É por demais conhecido o potencial desta fileira no concelho da Guarda, para além de já terem sido dados pareceres positivos, ainda que não se conheçam as condições para a exploração deste mineral tão importante enquanto tal e também na sua transformação, nomeadamente para o fabrico de baterias", refere a autarquia.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 13.02.2018

Acho que a região da Guarda tem um potencial surpreendente para muitos Portuguesas/as. Porque é uma zona de muito Lítio que é o novo Combustível do futuro. O nosso autarca senhor Álvaro Amaro deveria ter uma palavra a dizer . Mas o Governo da geringonça não é da côr do P.S.D. .......

Francisco António 13.02.2018

Oh camarada Álvaro ! E os outros 300 e tal autarcas ? E as centenas e centenas de presidentes das juntas de freguesia ? E o "educador" Manel Clemente ?

General Ciresp 12.02.2018

Aqui esta um bom aviso para Rui Rio e todos aqueles q criticavam Passos Coelho,como aconteceu ontem pelo pequenote ALFACE FRESCA pela sua presenca no barracao parlamentar.Esses ratinhos do largo do rato tem o mesmo tique do intentona apassarado:esse montao de merda tinha de ser sempre ele,ladrao.

pub