Comércio Amancio Ortega assegura controlo da dona da Zara até 2029

Amancio Ortega assegura controlo da dona da Zara até 2029

Amancio Ortega assegurou no final do ano passado o controlo do grupo Inditex até 2029, ou seja durante mais cinco anos do que o previsto anteriormente, de acordo com o Cinco Días.
Amancio Ortega assegura controlo da dona da Zara até 2029
reuters, bloomberg
Ana Laranjeiro 04 de janeiro de 2018 às 11:13

É um dos homens mais ricos do mundo. A fonte da sua riqueza começou com a marca Zara. A primeira loja foi aberta na Galiza em meados da década de 1970. Mais de dez anos depois, em 1988, abre a segunda loja: no Porto. De uma marca passou a outras e actualmente o portefólio do grupo Inditex conta com oito marcas de roupa, entre elas, além da própria Zara, a Massimo Dutti, a Bershka e a Pull and Bear. É um negócio de milhões e o seu fundador pretende continuar a ditar as regras no grupo até 2029, de acordo com o jornal espanhol Cinco Días.

Segundo o jornal, Amancio Ortega detém pouco mais de 1,2 milhões de acções da Pontegadea Inversiones, representativas de 8,3% do capital da empresa. Mas com este pacote de acções, Ortega controla 53% da Pontegadea Inversiones.

A Pontegadea Inversiones é o "porta-aviões familiar" onde estão as participações e os direitos de votos da Inditex – que controla - e a actividade imobiliária. Segundo o jornal, é este pacote de acções que permite que o controlo da Pontegadea esteja blindado, funcionando igualmente como meio de estabilidade dos accionistas. É que desde 2012 estas acções têm direitos de voto reforçados: cada acção tem associados 40 votos.

Esta blindagem das acções não é nova. Foi criada em 2012. Na época, Ortega decidiu passar as acções da Gartler – veículo a partir do qual controla a maioria que detém na Inditex – para a Pontegadea Inversiones. Foi estabelecido nos estatutos, em 2012, que os direitos reforçados deste pacote de mais de 1,2 milhões de acções (em que cada acção dá direito a 40 votos) tinham uma vigência até 2024, escreve o jornal. Após essa data, as acções continuaram a ter direitos reforçados, mas cada acção daria direito a 10 votos.

Contudo, tudo mudou no final do ano passado. A 21 de Dezembro, durante uma reunião de accionistas da Pontegadea Inversiones, foi aprovado um alargamento da blindagem, tendo a duração dos direitos reforços uma vigência de mais cinco anos. Assim, cada acção vai ter associada 40 votos até 2029.

Há cinco anos, disseram fontes ao jornal, a decisão de passar as acções da Gartler para a Pontegadea tinha como objectivo enviar ao mercado uma mensagem de estabilidade no grupo têxtil. 

Amancio Ortega - que quando tinha cerca de 13 anos de idade jurou que a família nunca mais passaria fome - decidiu em Dezembro de 2017 deixar todos os cargos  que tinha no grupo Inditex. O empresário já não tinha funções executivas na empresa desde 2011.  




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub