Tecnologias Amazon e Google trocam acusações por causa do Youtube

Amazon e Google trocam acusações por causa do Youtube

As duas gigantes tecnológicas fizeram comunicados em que se responsabilizam mutuamente pelo facto de o Youtube ter deixado de funcionar num site da retalhista online.
Amazon e Google trocam acusações por causa do Youtube
Reuters
Negócios 27 de setembro de 2017 às 13:17

A Amazon e a Google iniciaram uma guerra (de palavras) devido ao Youtube, site que é detido pela empresa californiana. Tudo porque o Youtube deixou de funcionar num site detido pela retalhista online, o Echo Show (um serviço de assistência controlado por voz que disponibiliza informações e vídeos no ecrã ).

 

Esta terça-feira, a Amazon criticou, em comunicado, a Google por ter bloqueado o funcionamento do Youtube no site Echo Show "sem qualquer explicação" para tal decisão.  

 

Também através de comunicado, a Google reagiu à acusação da empresa fundada por Jeff Bezos considerando que o Echo Show fornece uma "má experiência aos utilizadores".

 

"A implementação feita pela Amazon do Youtube no Echo Show viola os termos do nosso serviço, criando uma má experiência aos utilizadores. Esperamos poder alcançar um acordo e resolver brevemente esta situação", sustentou a Google no comunicado já referido.

 

A BBC escreve que o Echo Show utilizava vídeos do Youtube, porém não oferecia todas as funcionalidades fornecidas por aquele site tais como a hipótese de subscrição de canais.

 

No primeiro comunicado deste contenda, a Amazon havia referido que "a Google optou por deixar de ter o Youtube disponível no Echo Show, sem qualquer explicação ou notificação aos clientes". "Não existe nenhum razão técnica que suporte essa decisão, o que é desapontante e prejudica os clientes de ambos", disse ainda.

 

A estação britânica recorda que não se trata da primeira vez em que as gigantes tecnológicas retiram serviços das plataformas da sua rival. Em 2013, a Google obrigou a Microsoft a retirar a sua não oficial aplicação do Youtube da loja de smartphones Windows.