Tecnologias Amazon já tem a sua própria floresta tropical

Amazon já tem a sua própria floresta tropical

Numa altura em que passa pelo processo de escolha da cidade norte-americana onde vai construir a sua segunda sede, a Amazon.com inaugurou um espaço em tudo semelhante a uma floresta tropical no seu campus principal, em Seattle.
Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters
Foto: Reuters
Carla Pedro 30 de janeiro de 2018 às 19:13

A Amazon.com inaugurou esta segunda-feira, 29 de Janeiro, um espaço para os seus funcionários, na sua sede em Seattle, que em tudo se assemelha a uma floresta tropical. A ideia, segundo a retalhista online, é proporcionar um ambiente que possa inspirar os colaboradores a terem novas ideias.

 

Numa altura em que duas dezenas cidades da América do Norte procuram ser as escolhidas para a Amazon abrir a sua segunda sede, a empresa liderada por Jeff Bezos continua a expandir o seu principal campus, sublinha a Reuters, destacando, neste novo espaço, oficialmente aberto esta terça-feira, às cerca de 40.000 plantas de 400 espécies.

 

Este novo espaço, chamado As Esferas [The Spheres], é composto por três cúpulas em vidro e assemelha-se mais a uma estufa do que a um espaço tradicional de escritórios, refere a agência noticiosa. "Em vez de escritórios ou salas de conferências em recintos fechados, temos passadiços e espaços de reunião pouco convencionais, com cadeiras", realça.

 

Recorrendo à sua assistente virtual, Bezos inaugurou o novo espaço dizendo: "Alexa, abre as esferas". Nesse momento, os tectos ficaram azuis e os aplausos ecoaram pela "floresta", repleta de plantas e peixes.

 

A Amazon já investiu 3,7 mil milhões de dólares em edifícios e infra-estruturas na sua sede de Seattle, entre 2010 e o Verão de 2017, devendo aplicar mais de cinco mil milhões de dólares adicionais na construção da sua segunda sede e na criação de 50.000 empregos, refere a Reuters.

 

Recorde-se que, depois de ter recebido 238 propostas de interesse, a Amazon anunciou este mês que já tem uma lista de 20 cidades disponíveis para receberem a sua segunda sede e espera decidir-se ainda este ano pela localização final.

 

A Amazon, que na quinta-feira 1 de Fevereiro apresenta os seus resultados do quarto trimestre (e anuais), poderá oficializar ainda neste primeiro trimestre a sua entrada em Portugal. Segundo afirmou ao Negócios fonte próxima do processo, a tecnológica estará já mesmo a negociar um espaço no Porto.

 

Casas nas árvores, naves espaciais… tudo para puxar pela criatividade

 

Esta tendência de criar espaços cada vez mais criativos para os funcionários tem ganho bastante tracção no reino das tecnológicas. Conforme recorda o The Washington Post, os trabalhadores da Microsoft têm casas nas árvores, os da Apple operam numa espécie de nave espacional e a Amazon agora tem uma pequena floresta tropical mesmo no centro de Seattle.

 

No passado dia 17 de Janeiro, a Apple anunciou que pretende investir e contratar nos Estados Unidos, tendo previsto criar 20.000 empregos através de contratações para o seu actual campus e para um novo. Sim, um novo, também nos EUA.


Recorde-se que a Apple inaugurou a sua nova sede em Cupertino (Califórnia) em Abril do ano passado, quando ainda faltava terminar algumas obras. Este Apple Park – o nome que recebeu – tem a forma de uma nave espacial. Ou será a de um donut? De um anel? Também pode ser uma versão gigante do botão do iPhone. Tudo se adequa. Com uma obra cujo valor rondou os cinco mil milhões de dólares, tornou-se então a sede empresarial mais cara do mundo. Toda envidraçada e com muitos alperces, tal como Steve Jobs sonhou.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ricardo Diogo Há 3 semanas

Ridiculo, caro, e patético.
Se preocupassem em efectivamente ter uma conduta social e ambientalmente construtiva, e não fosse apenas "carnaval ambiental", teriam mil e uma formas de ser efectivos.
Dá vontade de vomitar!
seria normal na Coreia do Norte!

Anónimo Há 3 semanas

Este tipo de iniciativas demonstra o atraso estrutural que o nosso país têm neste campo (salvo muito raras exceções).
E a competitividade no futuro irá ganhar-se com este tipo de mudanças.

pub