Empresas Amazon vende mais livros electrónicos do que livros impressos no Reino Unido

Amazon vende mais livros electrónicos do que livros impressos no Reino Unido

A Amazon vende 114 livros electrónicos por cada 100 livros impressos no Reino Unido. Em 2011 os "ebooks" eram também já os mais vendidos pela companhia americana nos EUA.
Rita Dias Baltazar 06 de Agosto de 2012 às 17:14
As vendas de livros electrónicos da Amazon, no Reino Unido, ultrapassaram já a venda de livros impressos, revelou a empresa em comunicado.

Na Amazon vendem-se actualmente 114 livros electrónicos por cada 100 livros impressos.

O “tablet” da companhia, o Kindle Fire, foi introduzido no Reino Unido há dois anos atrás.


Os EUA assistiram a este fenómeno há um ano atrás, tendo levado quatro anos para atingir este ponto.

A Amazon anunciou em Junho que o Kindle Fire irá suportar aplicações fabricadas noutros países que não os EUA, abrindo assim o mercado do fabrico de aplicações para este “ebook” a países como o Reino Unido, Alemanha, Espanha, França ou Itália.



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
savel 06.08.2012

Há livros que só devem ser lidos em papel. Livros do Carl Barks só em papel, mesmo que sejam em alemão (do qual não percebo uma palavra)

xcxc 06.08.2012

portugal la fica de fora outra vez; e sempre a mesma porcaria, nao valemos nada para investimento estrangeiro.

Anónimo 06.08.2012

Quanto é que a amzon rouba?
Era bom começarem a ver nos bastidores o que se passa,é que um amigo meu trabalhou por lá e aqui não é só rosinhas não, aquilo é uma máfia como quase todas as multinacionais.

dantaspt 06.08.2012

Estamos assistir no mundo inteiro a milhões de pessoas a engordar as listas de desempregados, ao mesmo tempo alguém ganha milhões de euros a vender livros, que não exitem. são apenas um conjunto de arquivos de 3 ou 4 mb em média vendidos ao preço que custa um livro em papel que dá emprego a muita gente, desde da fábrica do papel, da tinta, da distribuição, dos armazenistas. Das livrarias. todo este processo desapareceu.... O consumidor pouco ganhou, apenas a possibilidade de tb ele vir um dia a engordar a lista dos desempregados, a lista dos humanos a abater.

ver mais comentários
pub